Mensagens recebidas via e-mail

ATENÇÃO!

Condições para publicação das mensagens:

Nome completo do autor, endereço de e-mail, endereço residencial e telefone para contato e não contenham ofensas a terceiros.

Atualizado em 13.09.2014

Wildes Dias Ramos
wdr-sn@hotmail.com

Gostaria de saber se a mulher do prefeito de livramento é a dona do hospital desse municipio se é ela que mantem os médicos de la para autorizar alguém a fazer uma consulta médica. Olha o nivel dos funcioários publicos que prestam serviços para nossa cidade, todos treinados pelos politicos a darem preferência de atendimentos aos que votaram nele. Em pleno século XXI temos que depararmos com isso.

 
Antônio Luz
aluzs@hotmail.com.br

Raimundo, "o poder das primeiras damas " Muito bom, vejo que agora você está vendo que Livramento não tem é Homem, gostam é de ficar nos botecos falando mal, mas não reagem, é isso mesmo o PREFEITO só foi na Prefeitura duas vezes, não tem voz ativa nenhuma, pois não conhece o povo de Livramento tudo é MADAME NETE quem manda. Perdemos o campo de Aviação, perdemos a CASA DE ESTUDANTE, vai sair riço porque ninguém fala nada. A situação política ele sabe que não está boa, veja que todos os cargos de EMERSON foram entregues mas ele não está nem ai. Você Marinho calou o LPML é site oficial da PML, o LIV Agora também calou eu tiro o chapéu para esse prefeito eta baixinho esperto, manda mesmo NETE saia rica que o povo logo logo esquece.

 

Rosangela Alves
rosangela.andre@ig.com.br

Senhor Raimundo,

Da forma como vem atuando na Gestão municipal, o próximo pleito, em Livramento será idêntico ao de 2012, no Município vizinho, Dom Basílio, em que o Prefeito, caso for tentar a reeleição, não terá votos suficientes para eleger um Vereador. Atentos, os situacionistas no Poder (como este Vereador oportunista, tipo mula-Jegue de Presépio da Estocada, citado na sua reportagem sobre as Lagoas) já estão cogitando a volta do eterno “Dunga” do povo livramentense qual seja Dr. Emerson, que conseguiu esconder da maioria até seu enquadramento na ficha suja nos últimos oito anos, alegando que havia encerrado a carreira, mas cuidando de permanecer no Poder e nos palcos, lançando a própria esposa candidata. Derrotado, para não se afundar, grudou feito uma Rêmora, ao Governo do PT na Bahia e atualmente está na espreita, preparando as nadadeiras para se alojar ao futuro Tubarão da Bahia – Paulo Souto. Se diversas “Raposas velhas da Política” voltaram depois de terem aprontado contra o “povinho brasileiro”, porque as “Aves de Rapina”, também, não conseguem voltar? Infelizmente o nível do eleitorado de Livramento não está acima da média nacional.

 

Lurdes Silva
lurdessilvas @bol.com.br

Na estrada do Passa Quatro, oito meses atrás, houve uma colisão de um caminhão a um poste. Rapidamente a concessionária de energia elétrica providenciou a substituição do mesmo, restabelecendo seus serviços, mas…

- Oito meses depois a iluminação pública, fundamental na área, não foi recolocada.

- Oito meses depois a população continua pagando a taxa de iluminação pública, contudo não é beneficiada pela prestação do serviço;

- Oito meses depois as pessoas, principalmente a pé, têm que antecipar a volta para casa, com medo da violência;

- Oito meses depois pessoas, alunos em especial, alguns até em curso técnico particular, tem que perder aulas para evitar ser vítima de violência na área.

Várias foram os contatos com o setor responsável na administração municipal, porém a mesma continua insensível com as reivindicações dos moradores, de recolocarem um ponto de iluminação pública, como antes existia Até mesmo a esperança de que no período eleitoral fosse restituída a iluminação pública no local não está se concretizando.

Fica a dúvida: O que está sendo feito com o valor arrecadado com a taxa de iluminação pública, se uma lâmpada para beneficiar uma comunidade não é colocada?

 

Sérgio Santos
zune63@gmail.com

Tenho percebido que as insinuações contra pessoas em cargo político são tratadas com politicagem, o que um homem de bem pode fazer para ser tratado com respeito? O que nos faz melhores? Me perdoem, pois não tenho o dom das palavras.

 

SINDSERVDB Dom Basílio
sindservdb@gmail.com

O SINDICATO DOS SERVIDORES PUBLICOS MUNICIPAIS DE DOM BASÍLIO VEM SOLICITAR O APOIO DESTE RENOMADO ÓRGÃO DE IMPRENSA NO APOIO A NOSSA LUTA !!! HTTP://SINDSERVDB.BLOGSPOT.COM.BR/2014/09/ASSEMBLEIA-DO-SINDSERVDB-05092014.HTML

 

 

Atualizado em 01.09.2014

José de Castro Meira
c9meira@gmail.com

Caro Raimundo:
Receba meus sinceros agradecimentos pela carinhosa nota publicada neste jornal, em que registra o falecimento de meu saudoso pai que, como você bem disse, sempre manteve laços de amizade com seu pai, meu estimado amigo Humberto, a quem sempre se referia simplesmente como Beto. Faltou acrescentar, não sei se por excessiva modéstia, que ele tinha especial admiração por você, pelo seu talento e dedicação às coisas de Livramento. Suas palavras serviram de bálsamo neste momento em que nossa família sofre a perda, que não é só nossa, mas dos muitos amigos que conquistou em sua passagem pela terra.
Que nosso Pai Celeste sempre o guarde e o ilumine para prosseguir na sua jornada, com o brilhantismo de sempre. Um abraço agradecido do conterrâneo e amigo, José de Castro Meira.

 

Marcio Oliveira
marciocajado@hotmail.com

Respondendo ao amigo Williton Assunção Trindade Rodrigues em relação ao asfalto , amigo, O Derba que esta realizando a obra, deixou uma vantagem de espaço de 1 metro entre o meio fio e a pavimentação para escoamento das águas, isso se deu a encostas , como na entrada da cidade existe um bueiro, não há problema, pois as águas ficaram escoadas nos canteiros laterais, ontem estive em contato com um engenheiro que me disse ''não há problema, esse mesmo procedimentos foram feitos em outras cidades, até maiores do que Livramento'' Grato!

 

Atualizado em 27.08.2014

Williton Assunção Trindade Rodrigues
w.trindade17@gmail.com

Olá Raimundo Marinho, tudo bem? Meu nome é Williton, tenho 22 anos sou livramentense de nascimento, entretanto, sempre morei no interior de São Paulo desde meus 9 meses de vida.

Li a sua matéria a respeito do asfalto que chega a Livramento mas surgiu-me uma dúvida: para onde vai correr a água da chuva? Digo isso porque na cidade de Livramento quase não há bueiros como pude observar quando estive aí há uns anos.

Sei que o asfaltamento por enquanto será apenas em uma parte da cidade, mas se um dia toda a cidade for asfaltada para onde a água será evacuada?

No bairro Estocada, onde minha vó paterna mora, não há um bueiro sequer!
Não sei se a colocação desse problema é legítima mas espero que o asfaltamento da cidade esteja sendo feito de forma planejada.

Se puderes investigar esse problema que levantei agradeceria muito.

 

Antônio Carlos Ribeiro
ancarri@veloxmail.com.br

Caro Raimundo. Estamos ouvindo aos quatro cantos a séria crise financeira que está abalando os pilares estruturais de Livramento, junta-se a crise econômica nacional, a inércia da economia baiana, a seca e por fim, a insegurança hídrica em nosso município, uma escassez de chuvas que já dura uma década. A fruticultura livramentense é conhecida em todo território nacional, como atesta um artigo muito interessante do Agrônomo da ADAB Weber Aguiar em uma pesquisa feita para o seu Mestrado, realizada na CEAGESP e algumas feiras livres na capital paulista, onde foi verificada a preferência por frutas baianas e em especial do polo Livramento/Dom Basílio, polo esse que empregava milhares de pais de família durante vários meses do ano e ainda importava colaboradores de outros municípios vizinhos, atraia olhares e investimentos de vários estados, ou seja, era a vedete da fruticultura tropical no Brasil. Tudo está ruindo, estamos vendo acontecer na caatinga o mesmo que houve na área do cacau no sul baiano, e aí ? soubemos que a ADIB, na pessoa de Romão procura algumas alternativas, mas sozinho ? onde andam os políticos influentes, os Desembargadores e Juízes Federal ? onde se encontram os megaempresários e até a sociedade civil ? e os órgãos ligados a agricultura e afins ? será que influência e prestígio só servem para alimentar o ego? Será que o crescimento pessoal em qualquer atividade não pode ser compartilhado em prol do meio em que vivemos? será que somos tão egoístas que o bem comum possa nos incomodar? vamos assistir a essa bancarrota sentados em nossas zonas de conforto ou vamos acordar e salvar a mais bela cidade (e município) do sertão baiano?

Muito obrigado Raimundo, mas cobramos de você também, como jornalista formador de opinião e postura de isenção pode muito bem adubar esta ideia e criar meios e elementos para derrotarmos esta temerosa situação.

Meu caro Antônio!

Se puder reler tudo que já escrevi e rever tudo que já falei sobre o assunto, nos últimos anos, verá que sempre fiz minha parte, desde que o Perímetro Irrigado do Brumado foi deformado, tomado dos colonos originais e criminosamente transferido para pessoas alheias à atividade rural (comerciantes, políticos etc.).

Com isso, o sistema tornou-se predador, como predador é a agricultura comercial. Dado ao sucesso comercial da fruticultura, surgiram a usura e o plantio de mais área do que nossa região, coração do semiárido baiano, poderia suportar. Plantou-se mais do que a capacidade hídrica da região. Assim, secaram o manancial artificial e até o lençol freático.

Temo que dias muito piores virão, pois os produtores e os políticos não estão nem ai para o sofrimento que advirá para o povo em geral, enquanto, certamente, se mudarão para onde poderão novamente se darem bem. Digo isso porque a solução seria resgatar o projeto original do DNOCS, o que significaria sair, hoje, de uma área plantada de cerca de 20 mil hectares para 5 mil hectares, estes adequados à oferta de água disponível.

Se continuar do jeito que estar, vamos ficar sem água até para beber, pois a barragem de Rio de Contas vai secar e morrer, assim como já aconteceu com a do Rio do Paulo. O que já escrevi sobre o assunto, fazendo críticas e alertas, dar para fazer pelo menos uns 10 livros. Fiquei e continuo falando sozinho!

Raimundo Marinho
Jornalista

 

 

Atualizado em 24.08.2014

OAB-Brumado/Presidência
oabbrumadopresidencia@outlook.com

Desativação da Comarca de Rio de Contas‏

Prezados(as) colegas,
 
Estarrecido com a aprovação, pelo Tribunal de Justiça da Bahia, da extinção da Comarca de Rio de Contas (disfarçada de incorporação), promoveremos uma grande manifestação no dia 25/08/14 (segunda-feira), às 10:00h, na Praça Matriz (Praça Maestro Esaú Pinto) em Rio de Contas – em frente ao antigo Fórum da referida Comarca, para tratar desse importante assunto e traçarmos as estratégias para reverter tamanha aberração.
 
Estarei presente e gostaria de contar com a participação de todos os(as) advogados(as) para combatermos esse absurdo!
 
Osvaldo Luiz Laranjeira Bastos Jr.
Presidente da 21ª Subseção - BA

 

José Edvaldo
e.ed@bol.com.br

Nossa "Livramento"... esta saudade que agita em meu peito me leva de volta ao sertão, como o canto de algum sabiá, conta prosas e as historias de lá, como quem se confessa com Deus através de uma oração, onde o sol queima tudo pra ver e a vida consegue nascer, mesmo que seja por meio das pedras sem chuva e sem regação... Sei que o rio navega pro mar, sei que o sonho não pode morrer, é por isso que tem certas coisas que a gente não pode esquecer: como o carro de boi gemedor, como o desabrochar de uma flor, como o sol por traz das montanhas dizendo que vai dormir, andorinhas bailando no céu, cantadores cantando cordel, são raízes da terra da gente que agente não tem aqui. ...as lembranças que Livramento me traz agora, os colegas de infância, Nando, Toin, Déli, Gina, Marleide, Claudete, Jairo, os irmãos Marcelo e Ricardo, Io de Iaia, Ivonilton, Leu, Gau, Xão, Dora, meus pais Didi e Deinha (eternos apaixonados desde os bailes da Associação), a missa nas manhãs de domingo, o cinema nas tardes de domingo, as feiras de sábado que eu tive a ideia de vender "ki suco gelado" para os feirantes e ter din din para pagar sorvete para minha paquerinha no cinema de domindo.. rss, ali aos meus 6 aninhos descobri meu tino comercial e depois passei e fabricar carrinhos de madeira, pipa, e outros brinquedos artesanais e vender para amiguinhos ...rss, uma lição determinação que vale ate hoje... a bela festa de São Joao na Rua do Areião, as brincadeiras no Tomba, o pão quente de todas as tardes na padaria do seu Regi, o irresistível sorvete do Rocha, o Taquari, as paquerinhas na praça central, a linda gruta no jardim da igreja, a gostosas tardes na biblioteca, festa junina de mês inteiro, festa de agosto/padroeira, desfile de 7 setembro, raro patriotismo no Brasil mas sempre presente em nossa cidade, a primeira comunhão, as brincadeiras e mergulhos de todas as tardes no rio taquari, os passeios de mergulhos dos sábados na cachoeira, os passeios em Rio de Contas, o lajedo.... são raízes da terra da gente que agente não pode esquecer....(saudade, saudade, gostosa saudade...), aaa se eu pudesse voltar no tempo e viver cada momento que a lembrança me traz agora, eu seria outra vez menino, com direito aos meus desatinos e correr pelo campo a fora... (Grande abraço amigos de Livra...Edvaldo, em 23.08.2014).

 

Atualizado em 05.08.2014

JOSÉ MARIA DE JESUS
jmpedagogo@bol.com.br

JORNALISTA RAIMUNDO MARINHO, o artigo "O perigo ronda nossa paradisíaca vocação!", realmente nos faz ficar muito triste por saber que tudo está acontecendo sem nenhuma autoridade fazer nada. Nenhum vereador, deputado, prefeito e até empresários, tá tudo acabando.

Nós não podemos parar de falar e alertar, embora muitos fingem não ver nada. Recentemente, postei no youtube uma música que fala sobre essa situação, é outro alerta.

Acredito que Livramento está perdendo sua história antiga e as gerações futuras ficarão sem saber onde e como moraram seus antecessores. (Acesse https://www.youtube.com/watch?v=cGZqdTlze24
http://youtu.be/cGZqdTlze24, para ouvir a música)

 

WEBER MARCILIO MALHEIRO AGUIAR
weberaguiar@yahoo.com.br

Prezado Raimundo, quero aqui de público parabenizar o grande amigo Zeferino pelo seu artigo onde questiona o uso das redes sociais, em particular o WhatsApp. Também solidarizo com ele e em alguns momentos me sinto excluído da sociedade, rsrsr, além do que o "fiu fiu" das mensagens é de saturar qualquer paciência. Concordo ainda com ele, quando escreve: "Parece que a mais nova tendência da moda é estarmos cada vez mais solitários, mesmo em meio à multidão", pois para se ter uma ideia de como isso é notório, em uma dessas novenas em louvor ao Bom Jesus olhei ao redor e vi um monte de gente de diversas classes sociais e idades, que simplesmente pareceram esquecer que estavam em um culto religioso e ficavam arrastando os dedos sobre a tela dos seus celulares. Para resolver isso acredito que teremos que evoluir voltando ao passado, onde essas tecnologias ainda não existiam. Com esse meu comentário espero não criar polêmica e sim expor a minha insatisfação com o uso demasiado das redes sociais.

 

Danilo Meira
dan_meira@hotmail.com

"RECEBEU O TITULO CRUZ DE RECONHECIMENTO SOCIAL E CULTURAL NO GRAU DE GRAN COMENDADOR DA SOBERANA ORDEM, ROBERVAL DE CÁSSIA MEIRA."

Na quinta-feira passada 31.07.2014 um ilustre conterrâneo nosso, Roberval de Cássia Meira recebeu uma Comenda de Destaque em Salvador e nenhum blog de Notícias da Região colocou ao menos uma nota sobre o fato. Temos que valorizar os exemplos.

A Soberana Ordem da Sociedade Intercontinental de Ciências Humanas, Jurídicas e Sociais  realizou na noite desta quinta-feira, (31), no Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador, na Praça Thomé de Souza, a Sessão Solene de outorgas e condecorações oficializadas.

A Comenda é uma homenagem àqueles que trabalham em prol dos direitos humanos, da paz e da responsabilidade social. A honraria tem por finalidade perpetuar o nome os homenageados perante as gerações vindouras, reconhecendo publicamente os méritos de honra, caráter, civismo, dignidade e benevolência.

Coragem e determinação são requisitos básicos para quem recebe essa honraria. O título de Comendador enaltece o caráter, a coragem e serve como exemplo para todos. Tal honraria destina-se a homenagear personalidades, empresários e autoridades civis e militares de grande relevância para o nosso País.

 

Geovane Pessoa
geovane.pessoa@gmail.com

O Brasil, sabiamente, teceu criticas ao massacre (a mídia insiste que é uma guerra) e discordando totalmente da ação militar de Israel, ou seja, que a atitude desse país é desproporcional, haja vista que mais 700 palestinos já morreram. sendo que uma boa parcela são crianças e mulheres. Mas o que me deixou mais perplexo, é o porta-voz de Israel dizer que desproporcional foi o “7 a 1” (alusão a derrota para Alemanha). Isso demonstra que em nada aprenderam e evoluíram os judeus com que os mesmos sofreram na 2ª Guerra Mundial na mão dos nazistas!

 

Atualizado em 21.07.2014

Zeferino Neto, psicólogo (*)
zifaneto@gmail.com

Geração WhatsApp

Lá estava eu, em mais uma tão sonhada e desejada sexta-feira à noite, sentado em um bar com alguns amigos, bebendo e comendo. No entanto, me sentindo da mesma forma que meus pacientes com depressão se sentem: completamente sozinhos, mesmo estando cercados por toda a família e amigos.

Essa é a sensação que vem atingindo todas aquelas pessoas que não se renderam ainda à febre do WhatsApp (aplicação multi-plataforma de mensagens instantâneas para celular). O diálogo está ficando cada vez mais difícil e raro, entre as pessoas que utilizam, de maneira quase patológica, esse aplicativo.

Enquanto estava à mesa com esses amigos, a única coisa que eu ouvia e via enquanto falava, era um “aham, aham” e tome riscar de dedo na tela do celular.

Gostaria de aproveitar a oportunidade, caro jornalista, para fazer um misto de desabafo e denúncia aqui no seu blog. Eu faço parte da mais nova minoria social, a dos portadores de celular que possuem apenas duas opções (ligar e receber chamadas).

Estamos sofrendo um novo tipo de bullying, sendo motivo de piada até mesmo no ambiente de trabalho pelos colegas mais “moderninhos”. Nós estamos sendo obrigados, em virtude do medo do ridículo, a anotar o número do contato das pessoas em um guardanapo, ou de cabeça mesmo, para não descobrirem o nosso celular sem android.

Bom, brincadeiras à parte (será que a máxima: “toda

brincadeira tem um fundo de verdade” se aplica nessa realidade descrita logo acima?) ficam algumas perguntas: toda a tecnologia é bem-vinda? Ou, em virtude de nosso despreparo e analfabetismo emocional, estamos fadados a lidarmos de maneira compulsiva com tudo aquilo de superficial que o mercado nos empurra goela à baixo? Até quando iremos enxergar esses produtos como uma panaceia para os nossos problemas?

O ser humano detesta a ideia de saber que ele adoece, envelhece, sofre perdas e morre. E, percebendo isso, os magos do marketing começaram a vender aquilo que eles fazem de melhor: ilusões para tentar preencher nosso vazio.  As ilusões que precisamos, para mascarar os questionamentos do tipo: “Quem eu sou? O que eu posso fazer? Para onde eu vou? O que está lá fora? Quais são as possibilidades?”

Através de algum sistema operacional podemos nos livrar da difícil missão (porém necessária) do amadurecimento. A sociedade gasta energias psíquicas monstruosas e se utiliza de alguns subterfúgios (como o WhatsApp e outras tecnologias) para não perceber que não temos garantia absoluta de nada na vida.

A nossa única garantia é justamente o que mais nos amedronta e aterroriza: a morte. E o segredo para a maturidade da alma (indicada por Freud, Nietzsche e Cia. Ltda.) é justamente dialogar com a mesma. Já dizia Montaigne: “Ensinar os homens a morrer é ensiná-los a viver”.

Sendo um cinéfilo de carteirinha, acho relevante recomendar, “para melhor reflexão, o filme Her (no Brasil, Ela). Segue a baixo a sinopse do filme. Joaquin Phoenix interpreta Theodore, um escritor solitário, que acaba de comprar um novo sistema operacional para seu computador. Para a sua surpresa, ele acaba se apaixonando pela voz deste programa informático, dando início a uma relação amorosa entre ambos (Em: http://www.artecompipoca.net/).

O filme mostra uma história de amor incomum que explora a relação entre o homem contemporâneo e a tecnologia, a dependência quase que doentia, o abismo que está se abrindo entre as pessoas e, consequentemente, o esfacelamento das relações interpessoais.

Essa história retrata algo que é comum nos dias de hoje, relacionamentos do mundo moderno, namoros virtuais (como o facebook), apaixonar-se por quem nunca viu pessoalmente (desde a época do MSN que isso acontece).

Através do WhatsApp, as pessoas estão perdendo o grande barato que é se declarar pessoalmente para alguém que se gosta e se deseja, podendo olhar olho no olho e viver a adrenalina de todo o processo da conquista, com os seus riscos e possíveis ganhos.     Estamos esquecendo como é se expressar através da fala.

Andrew Solomon, em sua obra O demônio do meio dia, dizia: “A fala é um dos maiores prazeres da vida, e a vontade de se comunicar é enormemente poderosa em todos nós. As pessoas deprimidas perdem interesse em falar; as maníacas falam incessantemente. Através das vastas fronteiras culturais, o meio mais consistente de melhorar o estado de espirito é a fala.”

Parece que a mais nova tendência da moda é estarmos cada vez mais solitários, mesmo em meio à multidão.

(*) Zeferino Neto atua nas áreas da psicologia social, política e clínica

 

Ailton Hipólito
ailtonhipolito@hotmail.com

Nobre Jornalista, o que nos traz indignação é que hoje o IMPOSTOMETRO já divulga r$ 900.000.000,00 de arrecadação e  na esfera federal não se ver nenhum deputado como no estadual e não  falando em nenhum vereador se pronunciar nestes casos de arrecadação, faça  hoje um levantamento no DETRAN e veja quanto está sendo arrecadado.  Mas tudo é alegria pois somos BRASILEIROS o que importa é fazer festa o resto é resto.

 

Atualizado em 11.07.2014, 17h

Maria José Souza Silva
maria.souzasouzamaria@outlook.com

Meu caro Raimundo Marinho , lhe tenho muito respeito , vejo em você uma referência e concordo com muitas coisas que você diz e prova ser verdade. Mas referente ao PINICÃO , lhe informo por experiência própria que toda a minha vida enquanto morei em Livramento NUNCA foi levado em conta  o esgoto de Livramento, morei bem próxima ali e  o descaso sempre foi comum para com os moradores , antes de "abrirem " aquelas ruas naquela baixada a situação era ainda mais crítica , pois quando chovia alagava tudo (mais que hoje em dia) e o cheiro era insuportável, reclamações foram feitas á prefeitura  desde quando eu era criança, mas acho que não foi suficiente pois ainda convivemos com esgoto a céu aberto. Mas que já esteve em situação pior isso é fato, porém ainda há muito a se fazer!

 

AILTON HIPOLITO
ailtonhipolito@hotmail.com

NOBRE JORNALISTA, o maior defeito dos administradores atuais que não fazem nada é olhar para o anterior. Veja que após 16 anos o PT esta lembrando de FHC, VAGNER criticando ACM e assim por diante. Eles deveriam é trabalhar e fazer a diferença.

 

Antônio Costa
costaaguiar2011@hotmail.com

São  tantas mentes brilhantes da música como Raul seixas, Fred Mercury, j. Lennon, Elvis, Cazuza, J. Hendrix, M. Jackson entre outros  que são como estrelas cadentes, um breve lampejo e, brevemente, se vão dessa dimensão, nela permanece as lembranças. Dispensem os "porquês".

 

Rosangela Alves
rosangela.andre@ig.com.br

Pela omissão e ou conivência da Polícia Militar de Livramento, em relação aos abusos praticados pela administração municipal, como poda irregular e na surdina de árvores, fechamento da praça do comércio em plena época de São João, tudo indica que a PM já se subordina às ordens das autoridades municipais. Será que é por causa da tal ajuda de custo que algumas prefeituras do Nordeste costumam  pagar aos PM? Ou seria por causa daquele complexo policial que a Prefeitura prometeu construir para a polícia em Livramento?

 

Atualizado em 29.06.2014

Roberto do Amaral Modesto
robertobide@yahoo.com.br

Caro Marinho,
 
Não há mais o que escrever sobre a seca no nordeste. Por isso estou repassando a presente matéria para que o povo entenda porque ainda estamos patinando em cima desse problema que apesar de ter origem na natureza, espera por uma solução, que é política, para amenizar um dos problemas mais  cruciais da nossa tão sofrida região. Muito grato, Roberto Amaral.

SECA NO NORDESTE

A certeza de que não falta água no Nordeste não é nova. Já em 1984, o Projeto Radam, do Ministério das Minas e Energia, constatava através de sensoriamento remoto a existência de um potencial de 220 bilhões de metros cúbicos de água nas áreas mais afetadas pelas secas. Desse total, 85 bilhões de metros cúbicos estavam na superfície da terra e 135 bilhões subterrâneas, sendo 15 bilhões em rochas cristalinas, de difícil perfuração, e 120 bilhões em rochas sedimentares, mais fáceis de perfurar para alcançar o lençol freático. Somente no Piauí, afirma o geólogo Aldo da Cunha Rebouças, presidente da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas, o reservatório hídrico sob a terra é superior em quatro vezes à Baía de Guanabara.

Um exemplo desse potencial é o poço Violeta, no vale do Rio Gurguéia, no sudoeste do Piauí, o poço de maior vazão da América Latina, com um jorro de 800 000 litros por hora, à temperatura de 60° e altura de 27 metros — equivalente a aproximadamente um edifício de nove andares —, suficiente para abastecer uma população de l00 000 pessoas. “No entanto, toda essa água está jorrando em vão, sem ser utilizada para matar a sede das pessoas ou irrigar plantações”, indigna-se o piauiense José Luiz Albuquerque Filho, também hidrogeólogo pesquisador, há treze anos no IPT paulista, diante do incrível desperdício de 70 bilhões de litros de água nos últimos dez anos, desde que o poço de 1 000 metros de profundidade foi aberto. Isso em plena região do Polígono das Secas. E o desperdício não para por aí.

Chove no Polígono uma média de 400 a 700 milímetros por ano. Sete vezes mais, por exemplo, que na Califórnia, uma das regiões de agricultura mais desenvolvidas no mundo. A diferença está no gerenciamento desses recursos. Enquanto na Califórnia cada litro é criteriosamente estocado e aproveitado, o Nordeste brasileiro morre de sede enquanto a água se evapora sem uso por falta de redes de distribuição. Segundo a Funceme — Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hí-dricos, somente o projetado açude Castanhão, com seu espelho de água de 650 quilômetros quadrados, poderá perder anualmente 1 bilhão de litros por evaporação. Pior ainda é quando se armazena a água apenas para torná-la inutilizável.

“Os rios do Polígono das Secas arrastam o sal da terra, depositando-o nas proximidades do oceano”, explica o geógrafo Aziz Nacib Ab’Sáber, presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência e um dos mais profundos e abrangentes estudiosos do Nordeste e seus problemas. Um erro muito freqüente na construção dos açudes nordestinos pode, porém, anular essa ação. “Grande parte dos açudes da região não possuem descarregador de fundo, uma válvula próxima à base da barragem para liberar os excessos de água”, conta José Alberto Bottura. Com isso, o sal acaba acumulando-se no fundo dos reservatórios e, com o tempo, salinizando toda a água. O que pode transformar em realidade o delírio profético de Antônio Conselheiro no final do século passado ao afirmar que “o sertão vai virar mar”.

Desgraçadamente para os sertanejos, entretanto, um mar de águas salgadas, inútil para matar sua sede. (SUPERINTERESSANTE)

 

Atualizado em 25.06.2014

Jorge de J. V. Martins
jorge-jvm1@hotmail.com

Com relação a matéria do inteligentíssimo jornalista Raimundo Marinho: Temos que evoluir politicamente, parece que Livramento não gosta de eleger seus filhos da terra. Como exemplo posso citar, Carlão, Paulinho etc... Alias, acho que todos os baianos, eu sou um deles mas não moro aí, pois até o governador da Bahia, Jaques Wagner, é carioca!

 

Paulo Roberto Pereira Silva
pauloroberto328@hotmail.com

Prezado jornalista, gostaria de fazer uma correção na matéria de Gerardo Junior. O Emiliano José, era suplente de Dep Federal, e que com a saída de Zezeu, o mesmo Assumiu o cargo de Deputado Federal. Grato Paulo Roberto

 

Roberto do Amaral Modesto
robertobide@yahoo.com.br

Como acreditar nesses dois candidatos que aí estão a querer disputar as eleições presidenciais. Como acreditar se a presidente Dilma com todas as dificuldades que está tendo no seu governo não serve de alavanca para que seus percentuais de intenção de voto não passem de míseros números provenientes da não convicção das suas palavras. Como acreditar, principalmente em Eduardo Campos, quando sua vice, Marina Silva teve em seu favor nas últimas eleições, 20.000.000 milhões de votos, correspondentes a 20% da votação, enquanto ele não consegue atingir a casa decimal em seu eleitorado. A meu ver estão querendo brincar de oposição quando o povo brasileiro está ávido por atitudes concretas e objetivas para tirar o PT do poder. Na minha visão, enquanto há tempo, deveriam se juntar Aécio e Eduardo e lançarem Marina para presidente. Aí sim, haveria possibilidade de mudanças. É a lógica quem diz. Eleição se ganha com votos, não com vaidade.

 

Atualizado em 18.06.2014

Gileno Brito
gilenobrito@gmail.com

Gostaria de deixar registrada a minha indignação com a atitude sorrateira e desrespeitosa com que a empresa Ligue Lixo, que é subordinada à autoridade municipal, cortou as árvores da Praça João Marques nesta madrugada dia 17.06.14, com uma motosserra extremamente barulhenta. Mais precisamente às 4:00 h da madrugada. Neste horário todos estamos dormindo para o nosso sagrado descanso. Temos que trabalhar no outro dia com serenidade. A perda de sono nos trás vários problemas de saúde.

Existem estudos mostrando que quem dorme pouco tem mais risco de morte e também de apresentar alterações cardiovasculares.

Se era necessário ou não o corte daquelas árvores que o fizessem durante o dia. Não vejo a necessidade de evitarem os olhos dos moradores ao cortarem de madrugada.

Como não conseguia dormir em virtude daquela operação irresponsável que durou quase duas horas, tive que ligar para a polícia e pedir encarecidamente ajuda e fazer valer o meu direito que é sagrado: o de dormir em paz. Não obtive êxito nos meus pedidos junto ao comando da polícia. Duas viaturas passaram pra lá e pra cá e nenhum policial foi sensível ao meu drama. Fiz três ligações para o comando e a policial que me atendeu me informou que se a empresa estivesse autorizada a cortar aquelas árvores, ela não podia fazer nada. Orientou-me a fazer uma queixa na delegacia e mais nada. Vejo um certo desconhecimento das leis por parte dos policiais que nos atendem. A polícia tem o dever e obrigação de manter a paz e a harmonia e isto eu não tive.

A Constituição Federal se sobrepõem a quaisquer leis. Destarte, não vejo o porque de uma autoridade municipal ou dono de empresa privada darem ordens ou desobedecerem uma lei federal. A lei do silêncio é um direito de todos nós.
Eu não posso e nem devo sair do meu lar para me confrontar com os infratores. Isto é dever da polícia.

Eu gostaria de saber se aqueles mesmos comandados que ali estavam em total desrespeito aos moradores, fizessem o mesmo e no mesmo horário, bem próximo à casa de um promotor de justiça; bem próximo da casa de um Juiz de Direito; ou mesmo bem próximo à casa de uma autoridade policial, se eles seriam interrompidos, punidos, ou se nada aconteceria ?
O princípio básico do direito reza o seguinte: O meu direito começa quando o do outro termina.

Atenciosamente
Gileno Brito

 

Atualizado em 11.06.2014

Roberto do Amaral Modesto
robertobide@yahoo.com.br

Caro Marinho:

No decorrer da nossa existência nos deparamos com situações que nos deixam perplexos diante da vida. Algumas pessoas que nos representam parece que estão fora do planeta terra, onde  vivem numa  redoma,  alheias aos  acontecimentos do cotidiano.

Estudar é uma necessidade para que o jovem consiga uma situação melhor em qualidade de vida futura.  No entanto,  existem necessidades que obrigatoriamente tem que ser preenchidas pelo poder público no que tange o apoio logístico, possibilitando a condição para que busque seus ensinamentos em outras plagas.

Não adiante suprir pela metade as necessidades  dessas demandas sob pena de se representar uma sociedade tacanha, mesquinha e perdulária. E, com certeza não seria o caso de Livramento, onde a comunidade tem um perfil maravilhoso no que se refere solidariedade, sociabilidade e justiça.

Nos anos 60 quando estudava na Escola de Preparação de Aviação Civil, tive oportunidade de morar na Casa do Estudante Universitário, na Lapa boemia, onde convivi com estudantes de todas áreas de estudo, oriundos de vários estados da federação.

Era um prédio velho, porém sua estrutura permitia que tivéssemos uma vida saudável  e harmoniosa e que nos proporcionava a tranquilidade necessária para nosso trabalho de origem intelectual.

A manutenção do prédio era feita pelo poder público e a manutenção da moradia competia aos membros da comunidade que tudo faziam para que o ambiente fosse habitável e condizente como nossa condição de estudantes.

As penalidades, que eram uma raridade,  ocorriam quando algum membro cometia uma falta que fosse além da razoabilidade que norteia as regras de convivência em sociedade.

Aqui mesmo em Salvador, procurei visitar algumas casas de estudantes de vários municípios, inclusive, menores do que Livramento, e encontrei estruturas dentro dos princípios de civilidade, segurança, e, facilidades para o deslocamento para suas respectivas faculdades.

A casa do estudante de Livramento está pedindo socorro. Não compete saber quem foi ou quem não foi quem denunciou. Quem o fez, fez com a melhor das intenções.

Cabe ao poder público realizar as intervenções cabíveis para que nossos jovens possam estudar com tranquilidade  e o respeito mínimo pela sua condição de ser humano e principalmente por ser livramentense. Essa intervenção deve ser feita já, e sem mais delongas.

 

Wildes Dias Ramos
wdr-sn@hotmail.com

Parabéns Raimundo pela denuncia na matéria sobre a casa dos estudantes, 10 mil reais dar pra alugar 10 apartamentos aqui em São José do rio preto com 3 quarto cada em condomínio fechado. E o prefeito pagar isso tudo por uma casa veia dessa e ainda ameaçar as pessoas que denunciaram, ele tinha que agradecer os estudantes que fizeram essa denuncia e cobrar dos responsáveis pela manutenção da casa. Isso e uma vergonha.

 

Jair do Carmo Silva
jayrscorpions@hotmail.com

O prêmio para cada jogador se ganhar a copa, é de R$ 1 milhão de reais. Você já parou pra pensar que cada real pago a eles saem de nosso bolso?

E também já parou pra pensar ou imaginar cada um de vocês, estarão nas carreatas, gritando, soltando fogos, gastando sua gasolina, seu tempo, correndo risco de sofrer um acidente, tudo isso por causa de uma turma bilionária que estão de boa, rindo da nossa cara e não tanto nem ai pra nós?

Quem vai pagar teus impostos, eles? É como diz o ditado mais antigo dos mais velhos: "BESTAS FICAM POUCOS, MAS NÃO ACABAM".

 

Atualizado em 28.05.2014

Jair do Carmo Silva
jayrscorpions@hotmail.com

Políticos são todos uma merda só, roubam e não fazem quase nada, o povo brasileiro anda muito carente de tudo, por isso fica mais fácil políticos corruptos dominarem. Só não concordo é saber que o Brasil está realizando um evento internacional sem merecer o que vive, sem muito progresso na saúde, educação e segurança. Vivemos num País onde os bandidos vivem soltos e nós trabalhadores vivemos trancados. Os gringos terão segurança máxima do exército na copa, durante todo período do evento, nós, infelizmente, nunca temos durante a nossa vida toda. O Brasil já comprou a COPA, posso até está enganado, mas se ele não ganhar, com certeza ou a coisa piora ou desaba tudo de uma vez. Assassinatos, roubos, tragédias, mortes, existem a cada minuto nesse País, enquanto muitos brasileiros saem de madrugada para pegar 2, 3 ônibus pro trabalho, enfrentando um trânsito louco e quando ainda com seus carros são parados em semáforos sendo assaltados por vagabundos sem vergonhas, prontos pra tirar vidas de pais de família que lutam pra dar sustentos e escolas pros seus filhos, enquanto isso no plenário, deputados e senadores corruptos só de boa ganhando salários milionários, acordam quase meio dia e ainda tem gente que consegue engolir tudo isso. Pagamos a comida de um assassino que está preso porque tirou a vida de uma criança ou pai de família, enquanto seus filhos estão numa boa faculdade e o pobre tendo que se lascar, arriscando sua vida nas ruas insegura da cidade. No Brasil é assim, quem tem dinheiro, tem saúde, tem segurança, tem status, tem a lei que a protege, mas pode não ter o que mais necessitam, Deus. Não torço para o Brasil, meu time é a Alemanha, gosto do meu País e torcer contra Ele, não quer dizer nada, torço pela grande simpatia que sinto por ele, países de 1º mundo, traz pra muita gente uma simpatia muito grande, pela sua cultura e tradição, educacional e por muitos feitos consideráveis que é totalmente diferente de Países de décimo mundo, tipo o Brasil. Enquanto jogadores brasileiros ganham fortunas, quantos estão passando fome e sem teto, sem moradia, dizem que nosso país é rico, mas não o suficiente para suprir as necessidades do nosso povo. Então se a graça do brasileiro são 90 minutos de futebol para esquecer as dificuldades, então são 90 minutos de alegria e uma eternidade de tristeza e sofrimento.

 

Vitório Novais Rocha
vitoriorocha@gmail.com

Jornalista Raimundo Marinho, Parabéns pelo seu artigo "Pisando na merda, literalmente. O incrível é que tem agricultor irrigando as lavouras de milho, cebola, mamão, mandioca e manga com esta "água". pergunto: as pessoas que consumirão estes alimentos poderá contrair alguma doença? Grato, Vitório

 

Edson Novaes Borges
produterra.bahia@globo.com

Raimundo,

Em O GIGANTE COM MEDO, talvez ... com Luiz Prado e tudo, a estupidez intelectual substituída pelo messianismo, tem limite. Mergulhe com Luiz Prado nos mares, rios e atmosfera dos últimos 10 mil anos, convoque Deus como orientador e verá o quando é frágil os fatos citados nos documentos mesmo que usados com parcialidade para favorecer o CATASTROFISMO. Na impossibilidade de mergulhar na nossa árida terra do cimo do Brasil, não há água, ande pelos anos da NOVENTINA com Graciliano contando, pelas estradas poeirentas, os assassinados pelo CLIMA. Com as vênias por exercer o direito a críticas.

PS - Não leio quem não possa criticar. Mando um dia desse a crítica que fiz em 2007 do livro O EVANGELHO SEGUNDO JESUS CRISTO e a equipe de Saramago respondeu naquele português além mar (... o José gostou da parte que trata da relação de Jesus com as mulheres, detestou o resto...)

 

Roberto do Amaral Modesto
robertobide@yahoo.com.br

Os membros dessa Pastoral Carcerária estão se portando como pessoas desprovidas do mínimo de bom senso. O Ministro Joaquim Barbosa está tendo uma postura impecável no que se refere a aplicação da pena aos réus do mensalão. Por favor, leiam o Código Penal e deixem de falar besteiras. A essa altura qualquer pessoa inteligente já o fez. Qualquer pessoa que tenha curiosidade em saber a verdade. Vou tentar ser bem didático. Código Penal: Art. 35, § 2º - O trabalho externo é admissível, bem como a frequência a cursos supletivos profissionalizantes, de instrução de segundo grau ou superior. Existe porém um negocinho chamado Lei nº 7.210, de 11 de julho de 1984, chamada de Lei de Execução Penal que no seu art. 37 reza o seguinte: A prestação de trabalho externo, a ser autorizada pela direção do estabelecimento, dependerá de aptidão, disciplina e responsabilidade, ALÉM DO CUMPRIMENTO MÍNIMO DE UM SEXTO DA PENA. Alguém do mensalão por acaso já cumpriu esse requisito? Então, vamos deixar de falácias.

 

Atualizado em 04.04.2014

Jorge Luís Lessa Timbó
(e-mail omitido, a pedido)

Prezado Raimundo,

Também desejo que o outrora Colégio João Vilas Boas volte a ser "a escola respeitável que foi por muitos anos. Está a exigir a colaboração de todos para, junto com alunos, pais, mestres e gestores, se possa devolver-lhe  o status de qualidade que já teve". Isto é impossível! Quando foi criado, e até a sua estatização, o compromisso dos gestores era exclusivamente com a qualidade do ensino ali ministrado. Com a estatização passou-se a priorizar o ego pessoal do "Coronel" político de plantão e o ensino foi relegado a 2º plano. As disputas políticas afastaram os Mestres remanescentes daquela época de ouro, da qual me orgulho de ter pertencido como aluno, que ao se aposentar abandonaram a profissão. Hoje temos ali o retrato do ensino público brasileiro: completo abandono... Triste!!! Infelizmente, D. Lili, esta é uma saudosa história que temos para um dia contar aos nossos netos; aqui já teve um centro de referência de ensino, que foi o COLÉGIO JOÃO VILAS BOAS!!!

 

Aryadna Patrícia Viana Alves Bastos
aryvalves@hotmail.com

1991-1997 - Essência do saber...

Fiquei bastante emocionada ao ler o texto sobre o aniversário do CEJVB! Este colégio representa a minha formação do Fundamental II ao Magistério, melhor dizendo, a minha formação não apenas cognitiva, como afetiva e de valores que agregados aos ensinamentos do núcleo familiar fizeram de mim quem sou. Agradeço a todos os professores que transformaram a vida de uma menina tímida (da roça) em alguém que busca realizar seus objetivos com determinação e justiça. Devo a esta instituição mais que conhecimento aprendido! Aprendi o verdadeiro espírito de união quando na 8ª série (1994) realizamos festivais de sorvetes para angariar recursos e pagar parte da dívida do CEJVB que contava com a organização dos professores Aílton Freitas e Selma com a colaboração do Sr. Ginaldo Luz (dono de uma sorveteria), pai da nossa colega Glésia. Agradeço à professora Márcia Oliveira por nos apresentar a música e a pesquisa como recursos para a aprendizagem e, principalmente, a leitura de muitos livros. Naquele ano os alunos, mais do que nunca sentiram-se comunidade escolar, pois fizemos diferença para a concretização de um sonho: não deixar que fechassem NOSSO colégio! A nossa diretora era "Dona Lili", que sempre nos fazia entrar nos eixos e não nos deixava sem limites necessários à formação humana. OBRIGADA! SEMPRE! SAUDADES!

 

Atualizado em 24.03.2014

Eduardo Silva
sce@ig.com.br

Sou de Cachoeiro de Itapemirim/ES e fiz amizade com o ex-jogador BUGA, dessa matéria. Gostaria de entrar em contato com ele......j á faz uns 25 anos que não o vejo...... Favor mandar um telefone ou e-mail para que eu possa contatá-lo... desde já agradeço,...... abraços. Meu telefone 027-99918-1237

Nota: Quem encontrar Buga primeiro, por favor, passe esse recado!

 

JOSÉ MARIA DE JESUS
jmpedagogo@bol.com.br

RAIMUNDO MARINHO, Sai governo municipal, entra outro e a situação da educação é a mesma. Ontem(20/03) fiquei estarrecido, quando uma professora, de escola municipal disse-me que para ministrar suas aulas foi preciso sair pedindo material escolar nas papelarias para doar a seus alunos carentes, porque a secretaria da educação disse que não tinha. Ai eu me pergunto: Onde estão gastando o dinheiro que é depositado pelo MEC, todo mês, na conta da prefeitura? Por isso que digo: Educação em nosso município está de mal a pior. São os que tem dinheiro subindo o degrau do sucesso e os desafortunados servindo de tapete para os políticos pisarem e o explorarem. VEM AÍ AS ELEIÇÕES!

 

IVANILDO MEIRA
ivnildo.meira@ibest.com.br

CARO JAILSON CORREIA LIMA
LIVRAMENTO É DE NOSSA SENHORA. PORÉMMMMM, JÁ NÃO SEI SE NOSSA SENHORA QUER CONTINUAR SENDO DE LIVRAMENTO. TANTAS MAZELAS EM NOSSSA CIDADE. PERDOEM SENHOR. ACORDEM SENHORES GOVERNANTES. ESTAMOS PERDENDO NOSSA PROTETORA.

 

Antonio Costa
costaaguiar2011@hotmail.com

Até pessoas leigas são conscientes de que os fenômenos naturais são inter-relacionados. Um exemplo dessa relação é a interferência das monções asiáticas na seca nordestina brasileira. Esse jornal, oportunamente, nos informou na edição do dia 24/02, exploração predatória da caatinga em Livramento. Sendo um fato em todo o Nordeste, isso afeta ou afetará em algum tempo e de alguma forma o processo natural do clima, constituindo, assim, um fato gravíssimo para todos nós. Pena que muitos só se convencerão de tal gravidade quando o último pé de árvore tombar, ou quem sabe, nações travarem guerra por água. Aí “véi”, já será tarde demais. O ser humano moderno é caracterizado pela ganância e pelo consumismo, reféns de um capitalismo selvagem que, consequentemente, representa uma ameaça à sua própria existência. Entretanto, essa terra, que não é e nunca foi nossa, sobreviverá, pois um planeta de 4,5 bilhões de anos, com 3,5 bilhões de anos desenvolvendo a vida não vai se sucumbir em função de uma espécie - nós humanos - que existe num minúsculo lapso de tempo, com seus primeiro ancestrais remontando uns pouquíssimos milhões de anos. Considerando as dimensões cósmicas, é um tempo desprezível. O saudoso Raulzito já dizia: “... Buliram muito com o planeta, o planeta como um cachorro eu vejo, se ele não aguenta mais as pulgas, se livra delas no sacolejo...”. Já para o notável físico e teórico Stephen Hawking o fim da humanidade deverá ocorrer em mais ou menos 1000 anos, daí, em apenas uma questão de tempo, a natureza voltará com todo vigor e exuberância, livre dessa “praga de gafanhotos”... Todavia sem ninguém para admirá-la.


Atualizado em 19.03.2014

Roberto do Amaral Modesto
robertobide@yahoo.com.br

Alguns partidos políticos estão querendo implantar no Brasil o regime comunista. Ora, em sendo um país onde impera um estado democrático de direito, qualquer pessoa pode exprimir ou querer fazer isso ou aquilo de acordo com sua consciência. Agora, sem dissimulação, pois ao invés de usar o termo comunista, estão usando a denominação de regime socialista. Socialismo é um nome bonito e moderno que arranjaram para denominar o comunismo.

Na ex-URSS: União das Repúblicas SOCIALISTAS Soviéticas.

Na ex-ALEMANHA NAZISTA:  Partido Nacional SOCIALISTA.

Com o advento da modernidade estão usando termos mais atualizados para enganar os menos avisados. Em CUBA o comunismo passou a ter a denominação de REVOLUÇÃO. Os comunistas que compõem o governo daquele país são chamados de revolucionários.

Na VENEZUELA todas as políticas existentes são enquadradas no que se chama de Revolução Bolivariana.  A partir de 2005, começou-se a utilizar o conceito de Socialismo do século XXI e a adotar o caráter socialista da Revolução Bolivariana.

No frigir dos ovos tudo é a mesma coisa. Só quem leva vantagem é a cúpula governante.

 

Enedino Pedro da Silva Júnior
junior.calcados@yahoo.com.br

Raimundo é impossível falar da cultura musical baiana dos últimos 30 anos, sem falar do axé. Portanto, discordo do seu ponto de vista de que o cantor Bel é um ídolo sem causa, visto que o mesmo faz sucesso juntamente com a banda chiclete com banana desde a década de 80, sendo assim um dos artistas brasileiro há mais tempo no auge, o que demonstra todo o seu talento musical.

Junior!

Respeito muito os fãs do cantor, inclusive minha irmã Edilma, que quase me bate, mas mantenho minha opinião.

A massa encefálica baiana ficou calada quando Marcelo Nova, do Camisa de Vênus, numa referência ao axé music, disse: "eu não faço música para adestrar macaco''.

Elevar a estridente repetitividade de Bell Marques ao pateon da cultura musical baiana, a meu ver, afronta a poesia de Giberto Gil, Caetano Veloso, Gal, Bethânia, Riachão e tantos outros.
Mas o tema do nosso texto, de onde você pinçou essa linha para comentar, não foi a música baiana e sim a nossa educação. Ai, sim, cabe um bom debate!

Nosso abraço,

Raimundo Marinho

 

Atualizado em 11.03.2014

 Sindicato dos Professores
laucisilva@yahoo.com.br

SINDICATO DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE LIVRAMENTO DE NOSSA SENHORA, BAHIA – SPEL.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO - ELEIÇÕES SINDICAIS PARA PREENCHIMENTO DE CARGOS VACANTES DE REPRESENTANTE SINDICAL E DE DIRETORES SINDICAIS DE 1ª SECRETÁRIO E DE 1º TESOUREIRO PARA TÉRMINO DE MANDATO DA GESTÃO 2012-2014.

A Presidente do Sindicato dos Profissionais de Educação do Município de Livramento de Nossa Senhora, Bahia - (SPEL), no uso de suas atribuições legais e estatutárias (art. 45), comunica aos seus associados a ABERTURA DO PROCESSO ELEITORAL PARA PREENCHIMENTO DOS CARGOS VACANTES DE REPRESENTANTE SINDICAL E DE DIRETORES SINDICAIS DE 1º SECRETÁRIO E DE 1º TESOUREIRO, PARA TÉRMINO DE MANDATO DA GESTÃO CORRESPONDENTE AO PERÍODO DE 2012 A 2014. O registro de chapas será feito na sede administrativa da entidade, na Av. Dr. Edilson Pontes, nº 61, 1º andar, Sala 02, Centro, Livramento de Nossa Senhora, Bahia, no prazo de 15 (quinze) dias, contados da publicação do presente edital em jornal regional de grande circulação, ou seja, de 28 de fevereiro de 2014 a 14 de março de 2014, exceto feriados, de segunda à sexta, das 08:00 h às 15:00 h, e nos sábados, das 08:00 h às 12:00 h. As eleições serão realizadas no dia 29 de março de 2014 (sábado), das 08:00 h às 17:00 h, em urnas, no Grupo Escolar “Rômulo Galvão”, situado na Av. Presidente Vargas, s/n, Distrito Sede, nesta cidade. Caso não seja atingido o quórum na primeira votação, a nova eleição será realizada em 12 de abril de 2014, no mesmo horário e local de votação da primeira eleição. Os formulários para registro de chapa encontram-se disponibilizados na sede do SPEL. O prazo para impugnação de chapas de candidatos é de 5 (cinco) dias, a contar da publicação da relação das chapas inscritas em jornal de grande circulação. São condições do exercício do direito de voto o associado que não se enquadrar nas vedações dos artigos 64 e 65 do Estatuto do SPEL. De igual forma, para ter direito a candidatar-se, o associado deve cumprir as exigências dos art. 48, ou seja, deverá o associado estar em dias com as suas contribuições sindicais. Cópias do presente edital serão afixadas na sede administrativa do Sindicato, Prefeitura Municipal de Educação, Secretaria Municipal de Educação, Câmara de Vereadores e nas principais escolas urbanas e rurais da Rede Municipal de Ensino.

Livramento de Nossa Senhora, 20 de fevereiro de 2014.

Sílvia Letícia Conceição Pequeno Oliveira
Presidente

 

Raiana Cristina Dias da Cruz
raianacristinadias@yahoo.com.br

Quero agradecer e parabenizar ao “O Mandacaru” pela homenagem prestada às mulheres, por ocasião da comemoração do seu dia internacional. Achei de uma sensibilidade e de uma gentileza muito grande a forma que o jornalista Raimundo Marinho encontrou para prestar a sua homenagem. Se, como diz o ditado, “uma imagem vale mais que mil palavras”, o jornalista conseguiu, através das imagens, mostrar um pouco da beleza e do grande valor da mulher; além, claro, do texto belíssimo que as acompanha. Muito obrigada, Raimundo Marinho. Meus Parabéns!

Atualizado em 08.03.2014

Itamar Gracia Gomes Pereira
itaggp@hotmail.com

08 de março,
Dia Internacional da Mulher

Por Itamar Gracia Gomes Pereira

A comemoração do Dia Internacional da Mulher surgiu no ano de 1910, em homenagem às 128 trabalhadoras têxteis que, em greve por melhores condições de trabalho e de salários, foram mortas durante um incêndio provocado pelos patrões da fábrica Cotton, em Nova Iorque, dia 8 de março de 1857.

Na Bíblia, no a.T., recordamos a profetiza Débora, a rainha Esther, Judith, entre outras, que lutaram a favor do seu povo.

Nós, mulheres, somos importantes e grandes, principalmente, porque foi através de uma mulher, MARIA, A CHEIA DE GRAÇA, n.T. Lc 1, que o filho de Deus veio ao mundo para semear amor, humildade, paz, justiça, igualdade, fé e fraternidade. E outras inúmeras, na Bíblia, que foram instrumentos de salvação para tantos.

Lembramos, com fé, Santa Terezinha, Madre Tereza de Calcutá e a nossa tão querida bem aventurada Dulce dos pobres, na Bahia. Na política, nossa presidente Dilma, senadoras, deputadas, vereadoras e tantas anônimas.

Antes da nossa trajetória, a história de Helen Keller que, aos dezenove meses, uma febre a deixou, tão repentinamente como quando veio. Pessoas disseram que Helen Keller jamais poderia falar, ouvir ou ver. Mas isso foi antes do surgimento da senhorita Sullivan – sua professora. Mais tarde, Keller graduou-se, aprendeu vários idiomas. Com a ajuda de sua professora, venceu todos os obstáculos, tornou-se, na década de 1910, uma das maiores palestrantes do mundo inteiro. Sua coragem firme e seu trabalho árduo inspiraram pessoas de várias partes do mundo.

E a cruz de Olga? Há exatos 72 anos, em fevereiro de 1942, Olga Benário Prestes foi morta num campo de concentração de RAVESNBRUCK. Grávida, foi presa no Estado Novo de Getúlio Vargas, que a entregou à Alemanha nazista. E quantas levam suas cruzes no anonimato?

Betty Betty Friedan já era uma mulher casada e com filhos quando escreveu A MÍSTICA FEMININA, em 1963. No furor dos anos 1960, o livro de Betty Friedan deu vazão aos anseios de uma geração de mulher que começava a sair de casa para trabalhar, defendendo a liberdade sexual e a igualdade de direitos com os homens.

Como esquecer nossas heroínas Joana Angélica, Dra. Zilda Arns, Maria da Penha e tantas outras?
Na literatura, Cecília Meireles, Clarice Lispector, Lygia Fagundes Teles, Cora Coralina, Lya Luft e outras. E as nossas conterrâneas, algumas ainda no anonimato? Vamos fazer uma retrospectiva das mulheres de ontem e de hoje na nossa Livramento.

Vasculhando o passado, encontramos matronas que deixaram impregnadas em seus filhos as marcas indeléveis de mulheres bravas, lutadoras, sem esquecer as que, no anonimato, contribuíram com sua parcela de verdadeiras guerreiras, no espírito de luta dos seus filhos. Citamos donas Maria Messias e Maria Etelvina de Jesus (esta, mãe da professora Rosália Santana Araújo), que liam e respondiam cartas para as pessoas que não sabiam ler, na década de 1940. Essas cartas começavam sempre assim: “Escrevo essas mal traçadas linhas para dar as minhas notícias e, ao mesmo tempo, receber as suas ...”.

Virando as páginas do passado não muito remoto, perfilando pelas estradas de terra batida sob o sol escaldante do sertão, lembramos dos dias de outrora, quando caminhávamos em busca do saber. Os menores para as Escolas Reunidas “Lélis Piedade”, lá no Tomba. E os maiores para o Ginásio “João Vilas Boas” (voltávamos para o banho do Rego Grande, almoço, descanso e Maria Carolina, nossa mãe, que só cursou até a 5ª série, tomar as lições.) Grande mulher, como tantas Marias e outras anônimas.

Dona Leontina Aguiar Souza fundou, com a ajuda do coronel Zezinho Tanajura, a primeira escola do primeiro ao quinto ano para algumas alunas: Cremilda Tanajura, Rita Tanajura, dentre outras.
O Ginásio foi fundado em 1950 e o primeiro exame de admissão realizado pelas professoras guerreiras que estudaram em Caetité – iam caminhando com um animal a frente levando uma bagagem, pernoitavam em São Timóteo para continuar a andança no outro dia. Com louvor, Dona Rosália Santana Nunes, Cremilda Maria de Lourdes Tanajura Pires, Corina Correia Lima, Valdir Montenegro, entre outras que iam e vinham duas vezes ao ano.

Daí o curso pedagógico com outras professoras: Darci Tanajura de Cássia, Ana Meira Lessa Timbó, Angelita Osório Pimentel Leal, Neusa Maria do Livramento Lima, Idália Alves Aguiar Lima, Rita Vilas Boas Pereira, Ruth Guimarães Tanajura Leal, Maria do Livramento Guimarães Castro, Celca Pontes Vilas Boas, Stella Castro Xavier, Maria de Lourdes Assunção Mendes, Dalila Tanajura Requião, Teonila da Silva Lima, Otília Meira Gomes, Maria Aparecida Alves Meira, Maria Teresinha Meira Lima, Nalvia Mendes e tantas outras. As secretárias Donatila Vilas Boas Teixeira e Maria Conceição Vilas Boas Tanajura. A nossa simples homenagem a todas do mundo inteiro.

(Segue poema enviado por Itamar Gracia)

Poema de Dora (Manaus-AM)
Revista Mundo Jovem,
Nº 2 (14.04.1990) pág. 24.

Mulher
Como cidadã,
Diga não ao autoritarismo.
Como operária,
Diga não à exploração e aos baixos salários.
Como pessoa e ser humano que és,
Diga não ao machismo.
Como mulher do campo,
Diga não ao latifúndio.
Como negra índia,
Diga não ao racismo.
Como desempregada,
Diga não à falta de emprego e à reserva de mão de obra barata.
Como cristã,
Diga não à opressão e à violação dos direitos humanos.
Como cidadã,
Diga sim ao direito de organização e livre expressão.
Como operária,
Diga sim ao fim da exploração do homem pelo homem.
Como pessoa e ser humano que és,
Diga sim à igualdade de condições sem distinção de sexo.
Como gente do povo,
Diga sim à moradia digna, saneamento básico e transporte dignos.
Como mulher do campo,
Diga sim à reforma agrária.

Assim, onde quer que estejas, diga não e lute contra tudo que nos oprime e nos torna peça da engrenagem do capitalismo. Simplesmente porque esta é a condição para nossa libertação e é a demonstração da nossa força e capacidade de amar.

 

Jailson Lima
jailsonjlima@ig.com.br

Está sendo travado um sensacional debate na rede social a partir do momento que o vice-prefeito de Livramento Gerardo Júnior repassou o total de recursos transferido pelo governo para Livramento. O mandacarudaserra já havia convocado a população a comparecer à Câmera de Vereadores para discutir o orçamento para 2014 e como sempre a reunião, com exceção de Beto da Consol, presidente do C.D.L., foi sem presença popular. O Sr. Jairo Correia Lima, da empresa JCL, já havia alertado a gestão anterior mesmo com os projetos já prontos que recursos existem só precisa vontade política para buscá-lo. Só nos resta fiscalizar, não sei se obras dão votos, mas Livramento QUE É de Nossa Senhora merece melhoria.

 

Ricardo Neves
ricardo.rsn@ibest.com.br

Prezado Raimundo,

Neste diapasão, o comentário do leitor Edson Borges sobre sua matéria “fornos estão destruindo bioma da nossa caatinga” fez me recordar um personagem do programa “Escolinha do Professor Raimundo”, nominado Pedro Pedreira, interpretado pelo saudoso ator Francisco Milani, que atribuía sempre o ônus da prova à vítima. O ator fazia o papel de um advogado ranzinza, que exigia evidências absurdas e questionava os fatos com o famoso bordão: “há controvérsia”. Não importa quanto tempo (se cinco ou dez anos) vai durar a destruição ou exterminação total. Tem que cessar o ato criminoso, com a responsabilização dos culpados. Por mera coincidência, assim como o ator Francisco Milani, o e-mail do leitor, também, é da globo. Saudações!

 

José Raimundo Rocha de Souza
rai-rochasouza@hotmail.com

Caro Jornalista, Raimundo Marinho:

Há anos que você vem tentando fincar prego em pedra, ao denunciar as mazelas e falta de visão administrativa de gestores da nossa cidade, pois são tantas, que é impossível relacionar em uma só matéria. Posso lhe citar várias, pois nem mesmo as coisas mais simples são executadas, a exemplo de nomes de logradouros (ruas) e numeração e placas oficiais em cada uma delas, onde posso citar uma delas onde tenho um imóvel ainda em construção, desde 1996, que em cada fatura que recebo de água e energia vem com nomes e números diferentes, pois nela não existe nenhuma placa indicando qual é a oficial, dificultando, desta forma, os profissionais responsáveis pela entregas de correspondências aos moradores, ocasionando transtorno generalizado. Isso sem contar a falta de pavimentação ou mesmo limpeza de matos que nos força a realizar por conta própria, esgoto a céu aberto, enfim, é um descaso total.

 

Atualizados em 28.02.2014

Hugolino da Silva Lima Neto
hugolinolima@bol.com.br

Raimundo,
Ontem (26) no Programa Jornal da 88 ouvi a entrevista do Coordenador do Carnaval de Rio de Contas, João Carlos Chaves Souto, que relatou acerca do Carnaval desse município, informando a programação, organização e estrutura para os dias da folia. O Coordenador disse, ainda, que o Carnaval de Rio de Contas contará com o acompanhamento da Polícia Rodoviária Estadual e Militar, pois é de suma importância garantir o êxito do evento e, principalmente, a segurança de todos. Fiquei preocupado, quando na sua fala, o mesmo, enfatizou que não haverá abordagem com Bafômetro e que, somente aqueles foliões que demonstrarem embriaguez serão abordados com esse aparelho. Então, procurei o Comandante da 46ª CIPM, Major Luiz Afrânio, questionando o ocorrido, esse de prontidão me informou que haverá sim a abordagem com Bafômetro e que, só não haverá se faltar o aparelho. É importante ressaltar que segurança depende também de prevenção.
Sei que o Carnaval de Rio de Contas é um importante evento cultural do Brasil, inclusive, esse ano em sua programação terá o maestro Fred Dantas e Orquestra, uma inovação interessante. O município de Rio de Contas está demonstrando muito organização para a realização do Carnaval, sendo que, esse evento impulsiona a economia do município, expressa alegria e cultura. A tranquilidade do Carnaval depende da nossa contribuição.


 
Katherine Castro Meira
keytemeira@bol.com.br

Prezado amigo e jornalista Raimundo Marinho!
Gostaria de parabenizá-lo pela reportagem sobre a Escola estadual D. Tina. É importante conscientizar a população sobre o direito ao livre arbítrio. Cada cidadão, maior e de direito, tem o direito de escolher a escola que considera mais compatível e de melhor interesse aos seus dependentes. A luta pela democracia foi um direito adquirido com muita luta, por isso é que sempre vale a pena reacender essa importante e condicionável luz. Um grande abraço a você e a professora Márcia. Carinhosamente, Professora Katherine.

 

Edson Novaes Borges
produterra.bahia@globo.com

Raimundo,
Sobre a matéria ... bioma da nossa caatinga, tenho algo a dizer.
Embora com intenções e posições boas, a matéria - data vênia - é pobre em substancia. Citações como ( ...cinco anos para o fim do bioma no nosso município) só se explica pela ignorância na matéria ou militância irresponsável caraterizada nos DNA ecofatalistas. Nem o Profeta João no Apocalipse....
No último paragrafo vem. (A devastação pode ter consequências graves .... devido a mudança de clima e ao equilíbrio entre os elementos da fauna e flora típicos desse ecossistemas) Aponte-me um estudo sério que aponte a exequibilidade dessa afirmação. Todas as prospecção no norte da África, no vale do grande Nilo, aponta caminho diversos.
Temos uma legislação densa e diversa sobre a preservação do que chamam MEIO AMBIENTE. Temos que combater o desmatamento, não só pela lei, não só pela ignorância, não só para combater a ganancia dos empresários...todos os biomas exigem, sim ELES, exigem, que os use com racionalidade. Na Estrada da Evolução, só chegamos aqui, milhões de anos depois, vegetais, animais, e os humanos mais recentemente, por que DESMATAMOS, DESTRUÍMOS. Quando coloco DESMATAMOS é isso mesmo, os vegetais e animais em seu bioma DESMATAM.
O TAL MEIO AMBIENTE VIVE SIM EM GUERRA FRATICIDA CONSIGO MESMO.
CONVOQUE OS AMBIENTALISTAS E MINISTÉRIO PUBLICO PARA DISCUTIR OS POÇOS QUE RASGAM AS VEIAS DOS NOSSOS SOLOS SUGANDO SAL, CONDENANDO A SUA MORTE PREMATURA. AI, SIM, TEM IMPACTO AMBIENTAL

 

Valdeir Silva (Filarmônica Lindembergue Cardoso)
valdeirsilva16@gmail.com

Pedimos por gentileza que, se possível, divulgar o período das matrículas da Sociedade Musical Maestro Lindembergue Cardoso. Inscrições abertas para cursos gratuitos de música na Sociedade Musical Maestro Lindembergue Cardoso: violão, teclado e instrumentos de sopro.
O período das matrículas vai até o dia 7 de março. Os interessados deverão apresentar no ato da matrícula, RG, CPF, número do NIS e uma foto 3x4. Os menores de idade deverão estar acompanhados dos pais ou um responsável.
As aulas acontecem às segundas e quartas-feiras, a partir das 8h30min e às 18h e nas terças e quintas-feiras, a partir das 16h. A Sociedade Musical Maestro Lindembergue Cardoso fica localizada na Avenida Leônidas Cardoso, centro, ao lado da Secretaria de Saúde.

 

Atualizado em 15.02.2014, 10h

André Santos Sobral
andre.unit@hotmail.com

Caro Editor.

Em relação ao evento jurídico popular do caso Robson Cordeiro, observem como a ética profissional é tão ausente como chuva no Saara.

Cronologia : Em nota, o advogado constituído diz que o resultado ocorrera por inexperiência e inabilidade do advogado nomeado pelo juiz. Julgamento em 18.08.2010.
ANTES COM UM ADVOGADO NOMEADO E DITO INEXPERIENTE E INABILIDOSO : Pena 49 anos de reclusão e 03 meses de detenção.

DEPOIS COM 3 ADVOGADOS EXPERIENTES E HABILIDOSOS. Julgamento em 10.02.2014.
O RÉU ROBSON ASSUNÇÃO CORDEIRO, FOI CONDENADO A 49 ANOS DE RECLUSÃO E 03 MESES DE DETENÇÃO, BEM COMO O PAGAMENTO DE 10 DIAS-MULTA, CONFORME SENTENÇA PROLATADA NA REFERIDA SESSÃO.

Notaram alguma diferença???? Não???? Eu sim. Apenas a soberba e egocentrismo das pessoas que sentem-se o supra sumo da humanidade....
Código de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB:

Título I
Da Ética do Advogado

Art. 32. O advogado que eventualmente participar de programa de televisão ou de rádio, de entrevista na imprensa, de reportagem televisionada ou de qualquer outro meio, para manifestação profissional, deve visar a objetivos exclusivamente ilustrativos, educacionais e instrutivos, sem propósito de promoção pessoal ou profissional, vedados pronunciamentos sobre métodos de trabalho usados por seus colegas de profissão.
Parágrafo único. Quando convidado para manifestação pública, por qualquer modo e forma, visando ao esclarecimento de tema jurídico de interesse geral, deve o advogado evitar insinuações a promoção pessoal ou profissional, bem como o debate de caráter sensacionalista.
Art. 33. O advogado deve abster-se de:
(...)
II – debater, em qualquer veículo de divulgação, causa sob seu patrocínio ou patrocínio de colega; (GRIFEI)

Depois da sentença que condenou Robson [no primeiro julgamento], os advogados Luciano Bandeira Pontes e Alfredo Carlos Venet de Souza Lima entraram com o pedido de anulação da decisão do Tribunal do Juri, junto ao Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), alegando que o júri estava revestido de uma série de nulidades. Depois de analisar o pedido, os desembargadores concluíram que houve tais insignificâncias, e o TJ-BA determinou novo julgamento.
Ontem [dia 10.02.2014], o advogado de defesa, Luciano Bandeira, enviou uma nota ao L12 Notícias esclarecendo o seguinte: “O primeiro júri de Robson Assunção Cordeiro foi anulado acertadamente pelo TJ/BA por conta da inexperiência e inabilidade do advogado nomeado pelo juiz anterior como defensor dativo. Os Desembargadores concluíram que o júri estava eivado de nulidades, bem como falha na quesitação por conta da ânsia do juiz anterior em realizar o julgamento de qualquer jeito, sem contar ainda que as provas não foram devidamente analisadas em plenário. Direitos Constitucionais do Sr. Robson Assunção Cordeiro foram feridos e se eu não conseguisse anular aquele júri na Bahia, anularia tranquilamente em Brasília (Ipsis litteris)”, escreveu o jurista.

Rosângela Alves
rosangela.andre@ig.com.br

Senhor Raimundo,

Infelizmente os dados do IBGE não retratam a realidade do nosso Município cuja população rural é mais numerosa do que a urbana. A maioria da população recebe algum benefício do Governo Federal, como bolsa-família, benefício de assistência social (LOAS) e ou aposentadoria do INSS. Na zona rural, a população é filiada, também, ao PRONAF – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar. Por receio de terem algum destes benefícios cortados ou de serem remanejados no PRONAF, ao serem indagados pelo agente do IBGE, os entrevistados sonegam, na maioria das vezes, a renda proveniente da produção rural (do maracujá ou da manga).

Verifique perante o INSS aqui mesmo em Livramento onde, também, ao ser indagado para fins de obtenção de benefício (aposentadoria do trabalhador rural do segurado especial) o interessado não responde verdadeiramente o que cultiva: maracujá ou manga (produção irrigada que não integra a economia de subsistência). O trabalhador rural responde, mesmo que não seja verdade, que cultiva mandioca, feijão, milho ou outro produto integrante da economia de subsistência.
Portanto, o mecanismo de distribuição de renda por intermédio das esmolas sociais do Partido do homem que dizia que não “iria dar o peixe, mas ensinar a pescar” obriga a população de baixa renda a mentir e sonegar perante os Órgãos Federais (IBGE, INSS e outros), para não correr risco de perder os benefícios sociais. Esta é a realidade que todos nós conhecemos. Antes existia a política da “indústria da seca”, atualmente foi incrementada a política da “indústria da miséria”.

Rosângela,

Você e outras pessoas fazem essa suposição, com grande possibilidade de estarem corretos. Mas, ante a falta de dados que contrariem o Censo, ficamos com as declarações feitas. Penso, também, que o quadro não mudaria muito se fossem declarados os dados reais. Pois, no censo anterior (2000), nosso índice de miséria e pobreza ficava perto dos 90%, algo impossível de se corrigir com os programas sociais do governo, como você mesma acentua, meras “esmolas” e “indústria da miséria”. Espero que haja interesse das lideranças sociais, empresariais, políticas e governamentais em aprofundar o exame do assunto.

Raimundo Marinho
Editor

Roberto do Amaral Modesto
robertobide@yahoo.com.br

Não entendo porque tanta discussão sobre o direito de trabalhar do apenado. Basta cumprir o que está escrito na Lei. Na Lei nº 7.210, de 11/7/1948 (Lei da execução Penal) no seu artigo 37, diz o seguinte: A prestação de trabalho externo, a ser autorizada pela direção do estabelecimento, dependerá de aptidão, disciplina e responsabilidade, ALÉM DO CUMPRIMENTO MÍNIMO DE UM SEXTO DA PENA. Alguém do mensalão já cumpriu essa exigência?

Ivanildo Meira
ivanildo.meira@ibest.com.br

VIVA A POLÍTICA. DEUS TE ACOMPANHE VELHO MIRA. TENHA CALMA JORGINHO.

 

Atualizado em 12.02.2014, 8h

Salvador Luiz Silva Santos
luiz85_silva@hotmail.com

O Que Você Vai Ser Quando Crescer?

A realização pessoal e profissional, sempre foi vista como indicativo para estabelecermos parâmetros para a concretude das nossas aspirações. Estas aspirações começam a tomar corpo, quando passamos a interagir em determinado ambiente social, assimilando as características existentes, e a nossa necessidade de nos afirmarmos como membros desta rede complexa de relacionamentos.
 O fluxo migratório de jovens seduzidos pelo status de determinadas profissões ou induzidos pelos próprios pais, que almejam que os seus filhos deem prosseguimento, e sigam carreiras pré-estabelecidas pela imposição das suas vontades, por simples frustração em suas carreiras, acabam transferindo a eles aquilo que não conseguiram efetivar em sua vida profissional. Esta decisão, tomada sem um critério de real satisfação pessoal, configura-se como algo preocupante, e, sobretudo, gerador de futuras decepções, produzindo assim arrependimentos muitas vezes tardios. As convenções sociais e o mundo capitalista ao qual fazemos parte tem este poder direcionador e indutor, cabendo aos mais sagazes não ficarem a mercê das suas diretrizes e sob a tutela do politicamente correto. Por isto o porquê da curta frase que já virou bordão popular: “o que você vai ser quando crescer?”.
Quero de antemão fazer uma proposta não atrelada às questões relacionadas às escolhas profissionais que porventura os futuros jovens ou adultos farão com as suas promissoras carreiras, mas sim, estabelecer uma linha de pensamento que envolva a tomada de consciência do ser humano como princípio norteador para as suas conquistas e poder de intervenção no meio em que vive.
O crescimento não somente físico, empurra-nos para algumas elucubrações que merecem ser consideradas, entre elas podemos citar parte de um versículo bíblico, Coríntios 13 Versículo 11, que nos exorta a uma reflexão acerca da maturidade e da necessidade de nova postura diante da vida, quando nos diz: “Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança, desde que me tornei homem, eliminei as coisas de crianças”. Toda fase, em que passa o ser humano deve ser vivida em toda a sua plenitude, devendo ser respeitadas as suas particularidades. Sendo assim, apropriar-se das experiências vivenciadas por cada uma delas, aproveitando a ludicidade como fonte de prazer na infância, às interações nas conversações entre os adolescentes e o seu suposto poderio de autossuficiência, todas elas, se estendendo a um curtíssimo espaço de tempo que aos poucos a fantasiosa fase de ações inconsequentes se esvai com o tempo, é salutar.
O ser em toda a sua trajetória, perpassa por etapas e situações necessárias para o seu crescimento, em muitos casos, os embates são inevitáveis, o que poderá intervir em nossas escolhas e decisões. Estas escolhas poderão sentenciar-nos ao indesejado mundo dos conflitos internos, figurando-se como carrasco que desdenha das suas vítimas. O ganho da maturidade se conquista não somente pela cronologia do tempo, nas fases vividas na infância, na adolescência e culminando na fase adulta, mas sim no enfrentamento dos desafios que a vida nos impõe.
Quando alcançamos, mesmo que tímidos reflexos de consciência acerca das nossas existências, no que tange ao fazer algo por nós ou pelos outros, logo percebemos que algo transformador se apodera do nosso ser. O filósofo e matemático René Descartes, apesar dos seus enormes feitos na matemática e filosofia consagrou-se através dos tempos, com a pequena mais não menos importante citação: "Penso, logo existo”. Quando tomamos posse do conhecimento, gerado principalmente pelo aprendizado decorrente das nossas sucessivas tentativas, variando entre erros e acertos, começamos a sair do casulo da ignorância, notabilizando-nos como pensadores.
A ação nos difere dos medíocres, pois a realização de feitos em prol do nosso desenvolvimento e do desenvolvimento alheio ou de uma coletividade nos coloca como auxiliadores para a construção do bem comum. O avanço da maturidade, não necessariamente maturação cronológica nos oferece os subsídios necessários para enfrentamentos e resoluções.
No longa metragem “O Gladiador”, o General Maximus Decimus Meridius interpretado pelo ator Russel Crowe, com o intuito de incentivar o exército romano para mais uma batalha, esbraveja para os seus comandados: “O que fazem em vida, ecoa na eternidade”. A máxima é extremamente pertinente para a nossa tomada de consciência, visto que as nossas atitudes tem poder edificante, ou destruidor nas circunstancias que a vida nos oferece na infindável linha do tempo.
É chegada a hora de nos portarmos com mais diligência nas questões que se referem ao uso apropriado da nossa maturidade. A reflexão acerca dos acontecimentos que a vida nos oferece, deve ser uma constância em nossa existência, só assim conseguiremos através do exercício diário das nossas indagações, vislumbrarmos “luz no fim do túnel”. A nossa própria capacidade de indignação, ou a não aceitação das imposições carregada de intenções espúrias, nos dão uma dimensão da nossa maturidade alicerçada nas reflexões corriqueiras das nossas insatisfações. A tomada de decisão se faz necessária para sairmos de uma mentalidade claudicante e contraproducente que devora e neutraliza a efetivação dos nossos sonhos.
Deixemos para trás os ceifadores que procuram inocular em nossas mentes, padrões de comportamento tacanho frente aos nossos desafios, e tomados de um repentino espanto, nos reportemos a um ilustre desconhecido marcomano (tribo germânica) que disse: “E um belo dia, fui tomado pela surpresa de ter te conhecido, não sabia o quanto de você transformaria a minha vida, o tempo passou, sofri, me perdi, amadureci e cresci. E você”?

 

Marcos Santos
marcos2057@hotmail.com

Mais uma vez a Senhora Rosana Alves utiliza esse maravilhoso espaço para expressar seu rancor, sabe-se lá por qual motivo, em relação ao L12 Notícias, desta vez ela menciona uma matéria de autoria do amigo Glauber Marques, de Botuporã, reproduzida pelo L12, tendo em vista se tratar de um deputado filho da terra, cujo título é “PROPOSTA DE NELSON LEAL É APROVADA E IVETE SANGALO RECEBERÁ COMENDA DOIS DE JULHO", inclusive amplamente divulgada pela mídia estadual (http://www.bahianoticias.com.br/principal/noticia/149473-al-ba-rubro-negra-alexi-portela-e-ivete-sangalo-vao-receber-comenda-dois-de-julho.html).  Senhora Rosana, o L12 não olha bandeira de candidato, o que ele faz ou deixa de fazer quando resolve publicar suas matérias. Procuramos fazer um blog de informação bem eclético, mas Se nem Deus agradou à todos, quem somos nós pra agradar. Dirigindo-me na qualidade redator do referido blog, pra dizer a dona Rosana que não temos nada contra o deputado supracitado, confiamos no seu trabalho como representante nato do município de Livramento de Nossa Senhora, na Assembleia Legislativa da Bahia, apesar de ainda não ter tido a oportunidade de entrevistá-lo, para falar sobre assuntos de interesse da população. Quanto a honraria para Ivete Sangalo, não interpreto como uma ação fútil, tanto que foi amplamente divulgado pela mídia, onde a cantora Ivete Sangalo teve o apoio de 34 deputados (somente dois não apoiou), para receber a comenda 2 de julho, mais alta honraria da Bahia. Em minha opinião, mais do que justa, nessa modalidade de demanda, visto que a cantora é uma das figuras mais prestigiadas não somente na Bahia como em todo o Brasil. Acertou deputado.

 

Atualizado em 08.02.2014, 8h

Elídia Nunes Dourado
elidiadourado.livramento@gmail.com

Que o ano letivo de 2014 seja melhor que os anteriores, principalmente o ano de 2013, visto como um dos piores do ensino municipal de Livramento em razão de vários fatores como falta total de materiais básicos de secretaria e de limpeza, falta de merenda escolar, desorganização do transporte escolar e outros. Desejo que nosso prefeito com toda sua boa vontade e humildade, a Secretaria de Educação com todos os servidores competentes envolvidos na busca por projetos para a escola e todos os seguimentos da comunidade escolar, unidos, encontrem um caminho mais promissor para o ensino público municipal na nossa cidade.

Que as escolas recebam mais atenção do poder público (visitas regulares às escolas levantando dificuldades e levando soluções é o mínimo que se espera da secretaria); que os recursos federais enviados para as escolas sejam melhor administrados e com total transparência na prestação de contas (fornecimento regular de merenda de qualidade, de papel ofício, de tonner, de materiais para realização das atividades pedagógicas é o mínimo que se espera da secretaria e dos conselhos de educação e do FUNDEB); que os professores recebam apoio e sejam valorizados e não somente cobrados e até escravizados (pagamento regular dos salários, AC mais flexível, participação do sindicato na vida escolar é o mínimo que se espera do SPEL, das coordenações, da direção, do setor de pessoal e da secretaria de finanças); que os alunos sintam-se em um ambiente acolhedor e humano gostando mais de estudar e de viver (aulas com conteúdo, ministradas por professores mais preparados é o mínimo que se espera dos docentes, Secretaria de Educação, coordenação e direção escolar...).

Tudo isso, é claro com a regência do prefeito municipal, que escolhemos para conduzir nosso município por esses quatro anos. É só trabalhar corretamente que dá para fazer uma mudança tremenda nas escolas, resgatando as coisas boas do passado e implementando mudanças que venham beneficiar a todos e, consequentemente melhorar a popularidade do nosso gestor. Pelo grande amor que tenho pela educação e, especialmente pela UEBST me coloco a inteira disposição para ajudar voluntariamente nos bastidores dessa revolução que tanto anseio e sei que não é tão difícil realizar. VAMOS VALORIZAR A EDUCAÇÃO, NECESSÁRIA PARA A FORMAÇÃO DE CIDADÃOS MELHORES.

 

Rosangela Alves
rosangela.andre@ig.com.br

Senhor Raimundo,

A citação do filósofo francês de que “cada povo tem o governo que merece”, parece, infelizmente ser aplicada à sociedade livramentense. Pois, até o blog L12 que se gaba em dizer ser o mais acessado na Cidade, vive divulgando propaganda gratuita ou barata das futilidades do Deputado Estadual Nelson Leal, como a de que este Deputado teria elaborado projeto de moção à cantora Ivete Sangalo. O deputado, para quem nunca ouviu falar, é filho de Livramento e já conseguiu se eleger por dois ou três mandatos consecutivos, graças a uma maioria de eleitores incultos e flagelados que rifam seus votos por qualquer bugiganga em época de eleição. Quem se doer, que aponte algum trabalho útil ou de importância do tal Deputado, para Livramento, em todo o período que vem atuando com Deputado.

 

Gilvete Ferraz
gilveteferraz@hotmail.com

Após ler o e-mail do Sr. Winston Dellano de Castro, reforçou minha opinião a respeito de não construir um aeroporto aqui no Taquari. Eu moro na rua que fica ao lado do campo de avião, já existem muitas casas nesta região e a tendência é que continuem a construir, pois é um local bem agradável. Se fizerem um aeroporto aqui em pouquíssimo tempo ele vai estar bem no meio de um bairro residencial, e pelo que entendi isso é ilegal.

Por favor Dr. Paulo mantenha-se firme na decisão que tomou de fazer todas aquelas benfeitorias, precisamos delas, estamos ansiosos para vermos tudo feito. O Aeroporto dever ser construído em um lugar bem mais afastado da cidade. Do contrário seremos muito prejudicados aqui. Obrigada.

 

Roberto do Amaral Modesto
robertobide@yahoo.com.br

Vocês acham que estamos bem? Senão, vejamos. Viver está muito difícil. Não se trata de vestir o pijama, tomar umas cervejinhas, comer churrasco, descansar depois numa boa rede embalada por uma tremenda morena espetaculosa, e embarcar nos sonhos indeléveis de uma noite de verão. E um adendo: a rede terá que estar armada numa arvore frondosa e sombreada e bem ventilada para que o sono seja reparador. Mas tudo isso tem um preço. Não existe almoço de graça, como já dizia um pensador dominical. E como pagar por isso! O mundo está se tornando muito complicado. São muitos itens para se conviver. E para manter o pretenso status quo necessário torna-se que tenhamos uma fonte de renda permanente. Mas como manter essa condição se temos um governo insaciável que a cada mês dilapida a fonte de renda de todo nosso povo!  É tanto que para manter esse sonho só temos que sonhar...sonhar e sonhar. E nada mais.

 

Atualizado em 01.02.2014, 17h

Gleide Mara
gleideaquino@yahoo.com

Gostaria de saber quando as pessoas que  passaram no concurso municipal serão convocadas? E se os candidatos terão que pagar os exames admissionais?

 

Winston Dellano de Castro
(e-mail omitido, a pedido)

Pelo que acompanho na mídia, aeroportos ou aeródromos devem ficar localizados distantes de áreas urbanas, creio que seja por motivo de segurança. Acredito ser natural aquela região onde está localizado o Taquari, Benito Gama e Jurema receber um acréscimo na população nos próximos anos, o que futuramente levará a termos um campo de pouso no meio da cidade. Devido a uma falta de visão de futuro, isso já aconteceu com a estação de tratamento de esgoto. Acredito que seja interessante para o desenvolvimento da cidade a utilização do atual aeródromo para construção de outros equipamentos, o que viabiliza a correta urbanização do local e em contra partida a imediata construção de um novo aeródromo em um local mais distante dos atuais núcleos habitacionais.

 

Jorge Roberto Soares
jorge.r.soares@hotmail.com

Parabéns Raimundo pelo teu trabalho ajudar construir Livramento melhor.

 

Antônio Carlos Ribeiro (Tonhão)
antoniocarlos.ancarri@yahoo.com.br

Boa tarde Raimundo. Livramento começa a perder reservas morais que nossas vistas alcançaram, Sr. Nengo foi a mais recente, portanto, sistematicamente estamos ficando órfãos, pergunto: quem os substituirão? Nossos valores, nossas missões e nossas visões ficarão sem sucessão? espero que não, ainda há esperança, ainda há luz, nossa sociedade dispõe de expoentes morais e jamais perco o norte do futuro, ainda estamos no tempo.

 

Atualizado em 30.01.2014, 10h

Gilvete Ferraz
gilveteferraz@hotmail.com

Ao ler o que o jornalista Raimundo Marinho escreveu sobre a UBS e UBA, eu que vivo com o coração apertado, triste mesmo com a atitude da oposição e a indiferença da maioria da população quanto ao bem estar dos menos favorecidos, só tenho um pedido a fazer, deixem os governantes trabalharem, esperem os três anos que ainda faltam e só depois deem a sua opinião. Por enquanto cuidem de suas vidas, e façam sempre o bem a qualquer um que precise. É uma utopia imaginar políticos que realmente se importam com o povo. Mas o povo tem uma grande culpa, pois votam em um candidato com um fanatismo cego. É lamentável que seja assim.


Renato Luz
renatoluzjornalista@gmail.com

Brilhante e lúcido o texto: "Voos de ignorância e cinismo sobre nosso campo de avião". Parabéns. A demagogia sobre essa questão já está dando náuseas


Klauber Tanajura Silva
klaubertanajura@hotmail.com

Sr. Raimundo apenas uma correção referente a matéria sobre o falecimento de Seu Nengo ele não foi o ultimo pois ainda é viva sua irmã e minha avó a srª. Maria da Conceição Castro tanajura (Dona Santa)


Maria Stela Guimarães de Cássia
stelagcalves@hotmail.com

Obrigada pela homenagem ao meu pai. Nossa família sente-se honrada pelo grande homem que ele foi e continuará sendo em nossas memórias, exemplo de pai, de homem.

 

Atualizado em 28.01.2014, 9h

Wilde Dias Ramos
wdr-sn@hotmail.com

Gostaria de saber as pessoas ligadas a partidos políticos no município de livramento do que a cidade mais precisa atualmente de uma UPA ou de um aeródromo? Essas pessoas deviam dar sugestões, não atrapalhar obras que beneficiam a população de um modo geral, pois o município de livramento conta unicamente com um só hospital a região é carente de atendimento nos postos de saúde e hospital. Aeródromo pode construir outro com uma infraestrutura melhor com pista asfaltada, assim beneficiando toda população, acho que ta na hora das pessoas pararem de briguinhas fúteis e pensar mais na população.


Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos do Sertão do São Francisco
secaccossf@gmail.com

Olá!

"Conservação das plantas da caatinga como reserva estratégica de alimentos" é o tema da palestra de fevereiro da ACCOSSF, por Dr. Clovis Guimarães.

Com as chuvas, que embora heterogêneas, propiciaram brotações razoáveis em muitas regiões, é o momento exato para tratar desse assunto, conservar parte desse material para a produção de uma reserva estratégica, a ser utilizada um pouco mais adiante, ou seja, FAZER O QUE TEM QUE SER FEITO, NO MOMENTO EM QUE É POSSÍVEL FAZER ALGO.

Para tratar do tema, ninguém melhor do que o Dr. Clóvis Guimarães, com toda a sua experiência de anos e anos atuando pela EMBRAPA e sua ativa participação em inúmeros Projetos com caprinos e ovinos no semiárido nordestino.

Após a palestra, reunião mensal com a pauta: A cadeia produtiva das carnes caprina e ovina: Situação atual, Perspectivas, Possíveis ações, Plano de trabalho. Ainda: Leilão da ACCOSSF e Participação da ACCOSSF no Seminário "Integração da caprinocultura e da ovinocultura com as áreas irrigadas".

Será dia 11 de fevereiro, terça-feira, às 19h, na sede da ACCOSSF, no Sindicato dos Produtores Rurais de Juazeiro, Rua Sebastião Pereira, nº 64, Bairro Santo Antônio, Juazeiro-BA, próximo a Univasf, atrás do Hospital da Unimed. Fone: 74-3612-8723 ou pelo e-mail  HYPERLINK "mailto:secaccossf@gmail.com" secaccossf@gmail.com. Participe, não há necessidade de inscrição e a entrada é franca!


Rosangela Alves
rosangela.andre@ig.com.br

Senhor Raimundo,

Ainda com relação ao uso do terreno do campo de avião para construção de obras pela Prefeitura de Livramento, persiste o imbróglio sim. O imbróglio da ofensa ao Princípio da Moralidade Administrativa e Desvio de finalidade, praticado pelo leigo em Direito, ou talvez, incauto Senhor Prefeito. Ofensa esta que, se o Órgão do Ministério Público em Livramento for mesmo atuante, já deve está com o pedido de cassação pronto contra o Sr. Dr. Paulo Cardoso. Urge investigar como o Senhor Prefeito vai prestar conta desta tal obra: “construção de uma sede da 46ª CIPM, o novo Complexo Policial de Livramento”, que ele pretende para a Polícia Militar.  Alguém precisa alertar o Prefeito de Livramento que ele não é o chefe da Polícia Militar, que esta instituição está vinculada à Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia e não à Prefeitura. Em tão pouco tempo atuando como Prefeito, esta é a segunda investida que ele pratica, induzindo ser ele o “Chefe da Polícia Militar”. A primeira foi aquela no inicio do ano passado, em que ele solicitou “tolerância zero” sobre o trabalho da Polícia Militar. 

A situação é preocupante porque, do mesmo modo que o Prefeito pode solicitar tolerância zero e agora construindo sede para este órgão estadual, logo seus nobres Vereadores podem sentir no direito, como já fizeram no passado, de solicitar tolerância 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, etc., em relação a uma multa, apreensão de veículo ou qualquer outro trabalho da PM, mormente em época de eleição.

Na campanha eleitoral e até mesmo no debate com o candidato derrotado (Ricardinho) falou se muito a respeito da criação de uma “Secretaria de Segurança Pública” por parte do então Prefeito. Primeiro esta solicitação de “tolerância zero”, agora construir sede para a PM. Tudo isso enseja que o Prefeito esta tentando induzir a população no sentido de que está cumprindo pelo menos uma de suas promessas de campanha, ou seja, a criação da tal Secretaria de Segurança Pública. Neste caso, porem, não se trata de criação e sim de fusão, mistura, bagunça ou desordem. Quanto ao Ex-Prefeito, parece mesmo mais interessado em fazer campanha do que preservar o espaço do campo de aviação, senão já teria ingressado na Justiça com Ação popular contra a tal transformação.

Nota do Editor:

Rosângela, permita-nos os seguintes reparos, com base no que já foi divulgado por este site, para melhor orientação de nossos leitores: 

1) O prefeito não solicitou “tolerância zero”, no caso citado. Em conversa com o chefe da 46ª Companhia, que teria manifestado preocupação com as costumeiras intervenções dos prefeitos nas ações que são prerrogativas da PM, Paulo Azevedo o tranquilizou, garantindo que da parte dele não haveria essa interferência. Enfatizando sua posição, disse: “se depender de mim, tolerância zero”. E não parece que o major-chefe é dado a receber ordens de prefeito, como ele mesmo explicitou em artigo assinado, reproduzido neste portal, dizendo que a PM apenas exerce suas obrigações constitucionais, cumprindo a lei em nome da segurança pública. 

2) A segurança pública é também competência do Município, que pode, também, ter órgão especial para isso. A constituição da República diz que ela é obrigação do Estado (União, Estado Membro e Município), não cabendo ao setor privado provê-la.


Antonio Costa Aguiar
costaaguiar2011@hotmail.com

Infelizmente não tive presente no evento em que foi celebrada a formatura dos alunos da EJA na Escola Dona Tina, mas gostaria, através deste, parabenizar a todos eles por esta conquista, salientando que ser professor nessa modalidade de ensino com alunos adultos (desde 2012) é, para mim, uma grande satisfação. Desculpem-me pela ausência e saibam que fico feliz pela perseverança demonstrada. Desejo sucesso a todos meus, agora, ex-alunos.

 

Enedino Pedro da Silva Junior
junior.calcados@yahoo.com.br

A RESPEITO DO COMENTÁRIO DO SENHOR ROBERTO DO AMARAL MODESTO, DE QUE NÃO HÁ MAIS PLANO DE VÔO PARA O AERODROMO DE LIVRAMENTO, AUTORIZADO PELA ANAC, QUERO QUESTIONA-LO A RESPEITO DA ÚLTIMA OPERAÇÃO REALIZADA NO ÚLTIMO SÁBADO 25/01/2014 A FIM DE REMOVER UMA CRIANÇA PARA UM CENTRO MÉDICO MAIS DESENVOLVIDO. CONFORME COMENTÁRIO DO MESMO, QUALQUER OPERAÇÃO DE POUSO OU DECOLAGEM NO AERÓDROMO DO MUNICÍPIO, SERIA CONSIDERADA CLANDESTINA. PORTANTO, QUERO QUE O MESMO DÊ EXPLICAÇÃO DO PORQUE FOI AUTORIZADA ESTE PROCEDIMENTO DE POUSO E DECOLAGEM DA AERONAVE NO CITADO AERÓDROMO.

Nota do Editor:

Caro Júnior, 

O aviador Roberto Amaral já nos havia solicitado para retificar a informação originalmente postada por ele, mas não nos enviou o texto, que fez veicular, porém, no “facebook”. Veja:

Roberto Do Amaral Modesto

25 de janeiro

Recentemente fiz uma postagem informando do cancelamento do nosso aeroporto pela ANAC. Tal informação me foi passada por um chefe do departamento de aeródromos do Derba, inclusive afirmando que o terreno do mesmo pertencia à Prefeitura e que a mesma podia dispor do mesmo para o que bem entendesse. Esta foi portanto a razão da minha postagem uma vez que tal assunto envolvia uma polêmica bastante acentuada em torno de acontecimento tão relevante. No entanto um colega aviador me chamou a atenção de um fato que me deixou perplexo: o nosso aeródromo ainda persistia em existir. Ele fez um plano de voo para nossa cidade e a ANAC o aprovou sem nenhuma ressalva. Isso significa que nosso aeroporto não está desativado coisa alguma. É tanto que hoje a aeronave Seneca, prefixo PT RTJ, pertencente a Brasil Vida Taxi Aéreo Ltda., tendo como tripulante o Cmte Jadson executou uma operação de salvamento de vida humana comprovando dessa forma a relevância de se ter um aeroporto funcionando em nosso município. Vale salientar que nas duas operações de UTI aérea que ocorreram nos último dias as pessoas envolvidas não eram pessoas de famílias ricas. Portanto, a utilidade de um aeródromo é muito importante e seus benefícios se estendem a toda comunidade.


Gilvete Ferraz
gilveteferraz@hotmail.com

Eu amo Livramento e por isso minhas críticas são para pedir melhorias para o povo livramentense, não levo em consideração a que partido o prefeito pertence. O povo o escolheu, portanto respeito e torço para que seja feito o melhor pela a população. Durante a campanha eleitoral eu torço pelo meu candidato, depois da eleição eu torço para que o novo prefeito faça o povo de Livramento feliz, essa vai ser sempre a minha atitude. Sou totalmente contra quem tenta fazer picuinhas para atrapalhar o andamento das coisas que devem ser feitas, isso é coisa de mente pequena e de pessoas que não se importam com o bem estar do povo, fazem o que podem para desviar a atenção do que é realmente importante. Não importa em quem você votou, faça suas críticas construtivas e elogie o que estiver sendo bem feito.

Afinal somos nós (todos os livramentenses que pagamos por essas obras). O meu ou o seu candidato perdeu a eleição? Quem sabe a próxima ele ganha. Neste caso vamos torcer para que ele seja o melhor prefeito do mundo e que governe para todos igualmente.

Mas neste momento eu torço para que o melhor prefeito do mundo seja o atual. Porque assim Livramento e seu povo só têm a ganhar. Eu sempre vou escolher um candidato para votar. Mas a minha torcida será sempre pelo engrandecimento de Livramento e do seu povo, povo esse que eu sei que como eu é apaixonado por essa cidade. Não espere seu candidato ganhar, comece agora a exigir o melhor para todos nós. Peço a Deus para que não permita que os livramentenses se apaixonem por um candidato, Mas sim que desperte em nossos corações um imenso amor Por Livramento. Sendo assim, independente do resultado de qualquer eleição, o nosso foco vai ser sempre o mesmo: SAÚDE, PAZ E PROSPERIDADE PARA TODOS NÓS!

 

Gilvete Ferraz
gilveteferraz@hotmail.com

Sr. Raimundo Marinho, por que o Senhor não se candidata a deputado pela nossa região? Eu tenho certeza que como eu muitas pessoas ficariam felizes e teriam suas esperanças renovadas. Só de pensar meu coração se alegra, e se me permitir eu trabalho na campanha, fazendo as pessoas entenderem que seria uma grande oportunidade para nossa cidade ter sangue novo, muito competente e altamente capacitado.

Bondosa Gilvete!

Sou muito grato a você e às “muitas pessoas que ficariam felizes”, como cita, e nelas incluo os 197 votos, todos desinteressados, que tive nas últimas eleições. Mas, se a maioria da população não me quis como simples vereador, imagine como deputado!

Meu abraço!

Raimundo Marinho 

 

Atualizado em 17.01.2014, 9h

Josemar Miranda Silva
silva-josemar@bol.com.br

Não há um padrão mundial que defina uma cidade. Esta definição varia de país para país. “A palavra cidade tem origem do Latim civitas, originalmente “condição ou direito do cidadão”, de cives, “ homem que vive em cidade”. Muitas palavras derivam daqui, como civil, civilização, civismo. Já o Municipio – do Latim municipium, “ pessoa de uma cidade livre”, de municeps, “ cidadão livre, cidade livre”, múnus, “ serviço feito pela comunidade, dever, trabalho”.

Usando algumas das definições acima vou fazer algumas perguntas aos órgãos de segurança pública e aos representantes do poder político de livramento:
Quando poderemos dizer que somos pessoas de uma cidade livre, principalmente da violência em todas as suas formas? Quando é que os políticos vão cumprir o dever de trabalhar de forma coletiva pelas comunidades que nos compõem?

Olha! Nossos problemas estão aumentando assustadoramente, a violência vem tornando-se um pesadelo para a classe trabalhadora. Um bom exemplo são os últimos acontecimentos nessas primeiras semanas do ano de 2014, em que tivemos pessoas sequestradas de forma relâmpago, amordaçadas e assaltadas em plena luz do dia. O último desses episódios ocorreu a menos de 100 metros do comando policial. Como dizia Boris “isso é uma vergonha”.

Não adianta prender apenas carros e motos em situações irregulares e deixar os delinquentes soltos, pois seremos vitimas dos mesmos. Não sou especialista nessa área, mas essas ações estão sendo orquestradas de forma bem planejada e estudada.

Portando, os cidadãos de bens que pagam os seus impostos exigem respostas urgentes das autoridades competentes antes que seja tarde de mais, pois o silencio de quem deveria nos proteger estar incomodando. Acorda autoridades! Vocês também poderão ser a próxima vitima. Fui.

 

JOSÉ MARIA DE JESUS
jmpedagogo@bol.com.br

RAIMUNDO MARINHO, realmente não é a primeira vez que Vossa Senhoria, fala da preservação do Patrimônio histórico de nossa cidade, onde casas e casarões são derrubados para dar lugar a casas comerciais e uma das últimas, varridas desse município, foi a casa onde nasceu o Maestro Lindembergue Cardoso na rua detrás, hoje não existe mais. Quanto ao casarão dos Alcântaras, conheci e convivi em cada canto daquela casa nos anos 80, dá uma tristeza olhar e vê-la completamente destruída. Ninguém fez nada, ninguém fará nada, quem poderia fazer morreu, e quem poderá fazer não nasceu. Por mais que gritemos, nossa população é surda, não quer se envolver, mas nós sempre precisamos estar alertando enquanto Deus nos dá forças. Tenho uma música que fala de nossa cidade, dos exploradores e da realidade de hoje. Veja a letra:


NOSSA CIDADE
(José Maria de Jesus)
24/01/2012


Cantar
Todo mundo canta
Eu quero cantar pra você
Algo que nos encanta
E às vezes faz entristecer.
Foi no século 18
Que tudo aqui começou
Paulistas portugueses
A cidade iniciou.
Depois de 300 anos
Esta tudo diferente
O povo não é mais o mesmo
Mudou tudo de repente.
Tão linda é nossa Cidade
De povo gentil e legal

Tem gente de toda cor
Na cidade e zona rural.
Índios nossos primeiros moradores
Viviam livres na natureza
Mas chegaram aqui estrangeiros
Pra levar toda riqueza.
Exploraram nossos ancestrais
Lotearam todas essas terras
Arrancaram aqui muito ouro
Nas matas e também nas serras.
As águas estão contaminadas
As matas foram dizimadas
Suas belezas naturais
 Estão todas abandonadas.
Casas antigas tão derrubando
O progresso ta chegando
Sua história antiga está no fim
Nossa cidade esta mudando
E sua memória se acabando.


Chirley da Silva Santos Souza
chirley-santos@hotmail.com

Venho através desde em nome da comunidade escolar do Colégio Estadual Edivaldo Machado Boaventura agradecer a vossa Honrosa presença na nossa Cerimônia de Certificação, agradecemos também as presenças dos nossos pais, da Direc 19 na pessoa da sua diretora Filomena Azevedo, Professoras Maria Terezinha Meira, D. Lili,Florisbela, Màrcia, Senhor Tião e Dona Marliete, os pais da nossa aluna(in memoriam) Taynaira Evélin, nossos professores e aos nossos concluintes que acreditaram no trabalho da nossa escola, e empenharam-se para tornar aquele momento alegre e emocionante.

 

Caxião Ribeiro
caxiao.ribeiro@gmail.com

Prezado companheiro Roberto do Amaral, quanto o aproveitamento da área do aeródromo para a construção da UPA, acho prudente e oportuno o questionamento, já que o mesmo não foi extinto e nem liquidado pela ANAC,  apenas interditado, isto significa que se as autoridade competentes e interessadas correm atrás, as restrições imposta pela ANAC poderão serem sanadas e este importante equipamento público poderá voltar a servir a quem dele necessitar. Este mesmo problema aconteceu em vários município do estado, porem as pistas de pouso continuam intactas e muitas destas voltou a operar. A verdade é que muitos municípios baianos ainda clamam por uma pista de pouso, será que é justo exterminar o nosso? Será que não está desvestindo um santo para vestir o outro?

 

Atualizado em 13.01.2014, 17h

Paola Moreira
pcruzmoreira@hotmail.com

Jamais pensei em ler no Mandacaru da Serra a notícia de que “Terreno do Campo de Pouso é da Prefeitura e obra continua” uma vez que se continuasse pista de pouso futuramente um aeroporto como você mesmo disse em matéria de 25.12.2012, sugerindo a inclusão de Livramento em programa anunciado pela presidente Dilma Rousseff, para construção de 800 aeroportos em municípios de até 100 mil habitantes. Se já existe a pista de pouso porque não construir o que o Prefeito está querendo em outro lugar. Assim seria mais fácil reivindicar aeroporto uma vez que o município já tem pista de pouso.

Surpresa maior foi o prefeito convencer você Raimundo, um homem politizado, inteligente, competente que, queria, assim como eu e muitos livramentenses ver a pista de pouso funcionando e futuramente, um aeroporto de médio porte para atender aos cerca de 20 municípios do entorno de nossa cidade. O bom político/profissional não precisa concordar com o que chefes falam, pois são passageiros nos cargos e nossa opinião tem que prevalecer/perdurar, ainda mais quando queremos ver o progresso de nosso município.

Se você levantasse esta bandeira que desde dezembro/2012 você vem carregando poderia, até ser eleito vereador em outubro/2016, mas, contrapondo/contradizendo só para agradar seu chefe o prefeito, acho que não vai conseguir. Acredito que a maioria do povo de Livramento preferia a pista de pouso naquele lugar.

Paola!

Seu e-mail devolveu esta mensagem, denotando endereço errado. O nome informado também pode não ser sua identidade verdadeira. Por que se esconderia? Mas, pelo teor do que escreve, acolho e respondo.

Não sei se você se lembra, quando levantei a bandeira do aeroporto, em dezembro de 2012, nenhuma voz se juntou a mim.

O local continuou abandonado e até os críticos de hoje não fazem qualquer referência ao que eu sugeri, mostrando que tudo não passa de picuinhas políticas!

Tem alguém fazendo passeata de protesto ou até dormindo no local para impedir a continuidade das obras mal localizadas da Prefeitura? Não, ninguém!

Alguém pediu o embargo do projeto, na Justiça, por destruir bem público e deixar a população em risco, sem local para pouso de emergência? Também não!

Então, vou pedir a alguém para me fazer uma garapa!

(Raimundo Marinho)



Roberto do Amaral Modesto
robertobide@yahoo.com.br

Não há mais imbróglio com relação às construções no ex-aeródromo de Livramento de Nossa Senhora. A Prefeitura deverá continuar as obras projetadas porque o terreno envolvido a ela pertence. A ANAC cancelou o registro do aeródromo (SNLB) e ninguém poderá mais fazer planos de voo para essa localidade. Desta forma, embora fisicamente a pista de pouso exista, não está mais autorizado o uso da mesma por qualquer aeronave, pois seria o mesmo que utilizar um aeródromo clandestino. Breve restará apenas a lembrança de uma época de ouro, quando das idas e vindas conduzindo engenheiros e técnicos do DNOCS para a então obra do Perímetro Irrigado do Brumado. Mas a vida é assim. Todo progresso tem seu preço. Espera-se que as mudanças tragam os benefícios propostos para a população livramentense.



Klaus Soares
klaus.soares@outlook.com

1.

Lendo aqui o que aconteceu com a professora Márcia e ainda consternado com o que ocorreu. Faltou um pouco de educação para este aluno, não escolar, pois apesar de não ter tido aulas com a Prof.ª Márcia a vejo com prestígio e responsável no seu trabalho. Querendo ou não, independente de religião, o Papa é um chefe de estado, figura de renome, merece respeito e gera discussão por qualquer lugar.

Apesar do Brasil ser um país laico (não praticante, pois a maioria desconhece este detalhe na constituição), ainda se tem o dever de respeitar figuras que não convenha ao seu interesse/religião.

Não sou nada para julgar o aluno, até porque neste portal estamos todos apenas de leitores para comentar. Sendo a pessoa crente, descrente ou fanática, deve obter o mesmo respeito e satisfação que lhe é dado. Se eu respeito uma crença, quero o mesmo com uma crença diferente ou minha descrença.

RACISMO não inteira o que o garoto referiu, pois religião não corresponde a raça. Desejo que a professora Márcia se recupere, mas que esteja preparada para qualquer desacato, sendo forte! Porque ser um professor não é nada fácil e merece valor.

2.

Deve Livramento voltar algumas gerações? Ultimamente passei o mês de minhas férias pela cidade e completamente esqueci como é isolado o lugar de tecnologia. Não quis dizer que eu esperava escadas rolantes, elevadores, metrô ou uma cidade futurística, longe disso, apesar de que não seria má ideia (rsrs).

Me refiro a falta de sinal de qualidade, em todos os quesitos, já que as operadoras de telefonia são de serviço a população e cabe a nós cobrar e denunciar, não vejo problema em citar os nomes das operadoras. A TIM, por exemplo, ainda rasteja no sinal 2G na cidade, não sei se perceberam, mas ultimamente parece que ninguém está atendendo telefone, mas na verdade é o sinal que mal funciona.

Numa era que precisamos de fluidez para transportar informação, estamos muito atrasados. Em todos os casos, há filas para pessoas que querem instalar o sinal de internet Velox, oferecida pela OI em suas casas, mas em quesito de internet móvel, ainda está no 2G. A Claro também.

Podemos apenas dizer que está melhor a VIVO, porque temos 3G, ainda que não seja de melhor qualidade. Gostaria eu de poder fazer cobrança direta à Anatel, pois acho que já estamos mais que suficientes insatisfeitos com o mal serviço, e não só eu, como toda a população que necessita de qualidade de informação.

Como eu ainda não tenho suficiente 'plata' para poder comprar um satélite, decidi regredir ao uso de sinais de fumaça e telepatia para me comunicar, porque de resto tá meio difícil.



Francisco Rego Bastos
proffrbastos@hotmail.com

Meu caro Raimundo Marinho,

A propósito do desmoronamento do casarão dos Alcântaras, em pleno centro histórico de Livramento de N. Senhora, fonte de conhecimento de um estilo de época, ouso me posicionar, como livramentense de coração que prestou algum serviço educacional a essa gente boa. Não diria povo, posto que esse termo evoca organização política de poder soberano e decisivo. Nossa gente que cultiva tantas tradições importantes é desprovida da tradição de preservar os valores culturais, em suas fontes mais autênticas,

minando e ruindo suas raízes históricas, à semelhança de árvores centenárias que tombam com a ação do tempo e do vento, resultante da omissão do homem. Seria polêmico repetir o jargão do "quem cala, consente...". Prefiro cultivar a boa desconfiança alicerçada no senso crítico e romper com o silêncio das consciências com algumas indagações que não querem calar:

Sendo a cultura A EDUCAÇÃO PERMANENTE por que as escolas, em todos os níveis são se mobilizam, diante de fatos como esses? Por que as nossas SECRETARIAS DE CULTURA não se posicionam, quando deveriam assumir a maternidade, em óbito?

Enfim, a quem interessa o "deixa estar para ver como é que fica"?

Essa inércia é apenas consentida ou planejada? O que estaria por trás de cada fonte histórica que desaparece? Essa vulnerabilidade é do interesse de quem? Essas e muitas outras indagações nos remetem a pistas de orquestradas organizações invisíveis, mais poderosas do que qualquer grito de ALERTA, lamentavelmente!

Embora eu saiba que isso não vai lhe servir de consolo, como a mim também não serve, TAIS FATOS OCORREM SEMPRE E EM TODA PARTE... o que só agrava e não desagrava!

No mais, continuemos com o nosso brado fraco, na esperança de que haja alguma ressonância. Quem sabe?



Alfredo Neto
alconeto@yahoo.com.br

Jornalista Raimundo Marinho,

Leio o Mandacaru da Serra com frequência me fez comparar a matéria do abandono do “casarão dos Alcântara” com a decisão dos moradores de Tremedal de restaurar a Igreja de Nossa Senhora da Saúde e Glória, cuja restauração consumiu poucos recursos e constatou-se relíquias. Texto do Advogado e Historiador Ruy Medeiros atesta o acerto da comunidade com o restauro, conforme link abaixo. Quem sabe seja possível uma campanha para a revitalização do imóvel, além de outros espalhados pela cidade, inclusive no interior do município.

http://www.blogdorodrigoferraz.com.br/v1/2014/01/13/ruy-medeiros-escreve-igreja-de-nossa-senhora-da-saude-e-gloria-vila-de-sao-felipe-tremedal/#more-9996



Caxião Ribeiro
caxiao.ribeiro@gmail.com

Prezada companheira Rosângela, apesar de muito profícuo a sua abordagem sobre a situação política do nosso município, não deixou de conter algumas discrepâncias, quando diz que o PT vive de dar esmola.

Companheira a realidade e estudos, inclusive do renomado instituto IPEA prova o contrario, já que o mesmo mostra que em nenhum país do mundo se conseguiu tamanho avanço social num tão curto período de tempo, como no Brasil dos governos do PT, os quais majoritariamente fruto das transferências de renda. Se duvidar consulte o povo e Marcelo Neri IPEA.

Outro equivoco cometido é quando cita que todas alternativas políticas foram experimentadas. Não! o companheiro Lourival Trindade não teve a sua chance, homem leal e coerente nos seus princípios e convicções políticas, já que desde a sua juventude continua defendendo o mesmo lado, perdendo ou ganhando.

E o PT? O PT ainda não teve a sua chance, e vale lembrar que assim como o companheiro Lourival Trindade continua a defender a mesma bandeira, provando que é diferente, digo isto embasado na verdade, já que inicialmente compomos com as ultimas administrações, porem não seguimos adiante, por que as diretrizes destas administrações distorceram do nosso projeto político e dos anseios do povo do nosso município. Só o PT teve esta postura louvável e decente, os outros nem precisa citar, bom é aquele que está no poder. Tano no plano municipal assim como estadual e federal.

Eu companheira Rosângela, jamais apoiarei, ou recomendarei apoio a qualquer candidato a prefeito de Livramento, que não seja da linhagem e da postura do companheiro Lourival Trindade e do PT. Chega da mesma coisa!

 

Atualizado em 08.01.2014, 19h

Antonio Mario Reis de Azevedo Coutinho
coutinhoagroecologia@yahoo.com.br

ARTIGO:

CATÁSTROFE DE LAJEDINHO NA CHAPADA DIAMANTINA:

CASUALIDADE OU RESPOSTA DA NATUREZA?

Antonio Mário Reis de Azevedo Coutinho (*)

Em 1854, o chefe indígena da tribo americana Seatle, em carta enviada ao Presidente dos Estados Unidos da América, nos legou a seguinte lição:

“Tudo o que acontecer à terra, acontecerá aos filhos da terra. Se os homens cospem no solo, estão cuspindo em si mesmo. A terra não pertence ao homem; o homem é que pertence à terra. Todas as coisas estão ligadas como o sangue que une uma família. Há uma ligação em tudo. O que ocorrer com a terra recairá sobre os filhos da terra”.

Efetuando-se uma reflexão sobre a sábia lição do cacique Seatle e a tragédia ambiental ocorrida no município de Lajedinho, na Chapada Diamantina, é possível concluir-se, que a história de ocupação daquela região, sempre se caracterizou por ser uma história de ocupação predatória, baseada no desrespeito à natureza e na dilapidação dos recursos naturais.

Os que ali chegaram para desbravar aquelas terras retiraram tudo o que a natureza tinha para lhes dar, iniciando pelo desmatamento quase total da região. Ao corte do machado, e depois da motosserra, foram derrubados milhares de hectares de florestas nos municípios de Andaraí, Itaetê, Lençóis, Wagner, Utinga e Lajedinho, em busca de madeiras de lei, como o jacarandá, a peroba, o pau d’arco e a aroeira.

Posteriormente vieram as queimadas. Atearam fogo às terras, com o objetivo de “limpar” as áreas desmatadas. O fogo das queimadas dizimou o que restava da cobertura vegetal da região, cedendo lugar a terras “limpas”, porém pobres, cobertas por uma vegetação de capoeira, típica de solos degradados.

Em uma etapa posterior de ocupação da região, o solo desmatado, desnudo e queimado, cedeu lugar ao plantio de pastagens ralas e mal implantadas, que não garantiram a adequada cobertura do solo, abrindo caminho para a instalação de processos de degradação.

Para completar o ciclo de degradação das terras naquela região, a pecuária extensiva foi eleita como a principal atividade econômica, caracterizando-se pela ocupação de grandes áreas, com pastagens de baixíssima produtividade, excessivo pastejo dos rebanhos, o que causou a compactação dos solos pelo pisoteio animal, impedindo consequentemente a infiltração da água no solo e facilitando o surgimento de processos erosivos.

É neste contexto ambiental que se insere a tragédia de Lajedinho, na Chapada Diamantina. Um município localizado em uma microbacia hidrográfica totalmente degradada, uma cidade localizada em um vale estreito, cercada por encostas e morros totalmente desmatados, solos compactados pelo pisoteio animal, baixa taxa de infiltração da água no solo, gerando consequentemente excessivo escorrimento superficial e erosão.

Só faltava um ingrediente para que ocorresse uma grave tragédia ambiental naquele município. Uma chuva de grande intensidade (que dificilmente ocorre em regiões semiáridas), mas que casualmente ocorreu naquela microbacia hidrográfica, causando vítimas fatais e estragos irreparáveis.

A tragédia que infelizmente aconteceu em Lajedinho tem ocorrido em vários outros estados brasileiros, a exemplo de Santa Catarina, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais, e pode ocorrer em qualquer outro município brasileiro, de qualquer outra região, desde que apresente as mesmas características de ocupação e uso inadequado do solo.

Os desastres ambientais que hoje estamos vivenciando, nada mais são do que a resposta da natureza às ações nocivas praticadas pelo homem contra o meio ambiente durante séculos, através de desmatamentos, queimadas, ocupações irregulares e degradação das terras.

A natureza “revoltada” devolve ao homem tudo aquilo que ele fez de mal durante décadas. Desta forma, gerações presentes estão pagando por erros de gerações passadas, como também, gerações futuras poderão pagar por erros das gerações presentes, caso não haja uma mudança de postura com relação à questão ambiental na região.

De tudo isso resta uma lição. Na natureza tudo está interligado. Há uma ligação em tudo o que está no meio ambiente. Águas, solos, rochas, flora, fauna, homem, encostas, fundos de vale, topos de morro, canais e corpos d’água, formam um só conjunto, a bacia hidrográfica, que deve ser considerada como a unidade básica de planejamento ambiental estabelecida pela natureza.

Se intervirmos em um dos componentes da bacia hidrográfica, todos os demais serão atingidos, pois qualquer ação praticada pelo homem como desmatamentos, queimadas, implantação de estradas, implantação de atividades agrosilvopastoris, construção de barragens, uso de agrotóxicos, entre outras, refletirão no conjunto de toda a bacia.

Como dizia sabiamente o cacique Seatle, em 1854: “todas as coisas estão ligadas como o sangue que une uma família. Há uma ligação em tudo”. Urge portanto uma mudança com relação à ocupação e o uso do solo naquela região da Chapada Diamantina, partindo-se para uma visão conservacionista, de estímulo ao planejamento ambiental, na qual sejam contempladas ações que visem o manejo adequado dos recursos naturais e a redução dos processos de degradação do solo e da água.

Entre as ações que vislumbramos a curto prazo para a solução deste grave problema, poderíamos destacar: a necessidade de um amplo processo de planejamento ambiental na região, o respeito aos limites da capacidade de suporte ambiental da bacia hidrográfica, a compatibilização entre os diversos usos dos recursos naturais, o manejo adequado dos recursos naturais, a redução dos processos de degradação do solo e da água, entre outras.

A tragédia de Lajedinho exige uma mudança de postura com relação à questão ambiental naquela região, inicialmente pelo reconhecimento de que a crise ambiental que hoje assola aquele pequeno município baiano, não é decorrente apenas de uma fatalidade, mas sim da adoção de um modelo equivocado de desenvolvimento agropecuário, de ocupação e uso inadequado do solo, adotado durante séculos, o que exige uma mudança urgente de postura e de concepção por parte dos governantes e da sociedade, contemplando ações que harmonizem o desenvolvimento econômico e o uso sustentável dos recursos naturais.

Neste sentido seria extremamente relevante neste momento, que a Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola – EBDA e o Ministério da Agricultura retomassem o Programa de Microbacias Hidrográficas no Estado da Bahia, através da implantação urgente de um projeto de microbacia-piloto, em Lajedinho, na Chapada Diamantina, definindo objetivos, metas e ações a serem desenvolvidas, passando posteriormente a dar assistência técnica aos produtores rurais daquela região, sobre uso da terra, manejo adequado dos recursos naturais, manejo e conservação do solo e da água. Esta poderia ser uma efetiva colaboração do Governo do Estado da Bahia e do Governo Federal, para a solução deste grave problema.

Ao final deste artigo gostaria de me solidarizar com as famílias das vítimas da tragédia de Lajedinho, bem como, com toda a população daquela região, e requerer às autoridades competentes, que priorizem os recursos necessários para a reconstrução em bases sustentáveis daquele pequeno município da Chapada Diamantina. O povo de Lajedinho necessita de respostas urgentes, de ajuda técnica, e de suporte financeiro, para reverter definitivamente esta triste situação de calamidade.


(*) Antonio Mário Reis de Azevedo Coutinho é Engenheiro Agrônomo. Mestre em Geoquímica e Meio Ambiente pela UFBA. Foi extensionista rural da EMATER-BA, e atualmente é pesquisador lotado no Laboratório de Solos da EBDA. Foi professor da Escola Agrotécnica Afrânio Peixoto, em Wagner, Bahia.


Rosangela Alves
rosangela.andre@ig.com.br

Senhor Raimundo,

Apesar da hipocrisia do Partido dos Trabalhadores – PT, que atualmente copia um modelo de governo populista de concessão de esmolas, outrora criticado pelo próprio partido, o Vice-Prefeito de Livramento afirmou uma verdade, qual seja a de que o atual Prefeito de Livramento está “sem rumo”.

A revelação do vice é preocupante, uma vez que as possíveis alternativas políticas já foram testadas nos últimos trinta anos em Livramento. Cada uma foi pior que a outra.  Dá impressão que o governo de Dr. Paulo representa um mesclado de tudo de ruim que Dr. Emerson  e Dr. Carlos fizeram por Livramento.

A denominação “sem rumo” atribuída pelo seu Vice-Prefeito coaduna perfeitamente com o que foi apresentado pelo Prefeito neste primeiro ano de governo. Logo que tomou posse, induziu que não iria interferir no trabalho da Polícia Militar e solicitou “tolerância zero” desta Instituição quanto ao cumprimento da legislação de trânsito no Município.

Ao passo que, concomitantemente, nomeou um “conchavado Político” para contratar uma leva de ônibus e vans de propriedade de seus cabos eleitorais, a maioria sem habilitação até mesmo de amador (categoria B), para transportar alunos pela Secretaria de Educação Municipal.

A confusão provocada parece que está longe de acabar, uma vez que se ouvem boatos pelas Escolas da Zona rural do Município no sentido de que os Diretores das Escolas ordenam para não pagar transportadores de alunos sem habilitação, porém, que do Ex-Secretário de Educação emana contraordem para pagar.

Sabe-se que o Ex-Secretário apenas se deslocou para a Câmara de Vereadores, com o mesmo poder sobre a Secretaria, tendo inclusive lá deixado todos seus subalternos colegas políticos e docentes oriundos de uma pífia escola da zona rural de Livramento.

Para ratificar o advérbio perdido ou “sem rumo”, o blog L12, em sua reportagem de 07/01/2012 sob o título “Imbróglio ameaça Execução de Canteiro de Obras no Terreno do Campo de Avião” relata uma disputa entre o Ex Prefeito e o atual que pretende usar o terreno do aeroporto para construir entre outras obras, uma sede da 46ª CIPM, o novo Complexo Policial de Livramento”.

Desta forma, uma pessoa que no principio pediu tolerância zero, jurando imparcialidade no trabalho da PM, agora aparece presenteando a instituição com construção de obra para sua sede, só pode mesmo estar perdido, sem qualquer noção de Direito. E, para quem perdido se encontra, necessária interdição imediata.

Se o Ministério Público e o Judiciário não agirem, o terremoto provocado por Dr. Emerson e o “tsunami” de Carlão não destruíram totalmente Livramento, graças às nossas riquezas naturais, porém, minados estes recursos, Dr. Paulo pode ser o tiro de misericórdia destas catástrofes


Gilvete Ferraz
gilveteferraz@hotmail.com

I - Aconteceu em uma escola aqui em Livramento, acredite, aconteceu mesmo e eu não sei dizer o que senti e pensei ao saber. Alguns alunos fizeram um círculo com suas carteiras, a professora questionou o motivo, disseram que queriam estudar  juntos, uma atitude louvável. Algum tempo depois a professora percebeu que na verdade o círculo era para esconder uma aluna que estava fazendo sexo oral em um colega de classe, assustada ela sai da sala.

O que está acontecendo? Como isso é possível? O que dizer da educação que recebem em casa? Tudo já foi dito, a maioria dos pais não se importa, são omissos, pois permitem a seus filhos assimilar toda essa podridão que nos rodeiam, cujo alvo principal são as crianças e os adolescentes, a obrigação dos pais é ensinar seus filhos a filtrarem o que veem e ouvem. Inclusive isso que costumam chamar de música.

Tem que ter uma mente bem pequena para escrever letras tão ridículas de um nível tão baixo, e precisa não ter vergonha na cara para cantar e ainda se sentir orgulhoso ao dizer eu fiz a letra, se fosse eu que tivesse escrito algo desse nível teria vergonha de confessar.

Como chegamos a esse ponto? Como recomeçar de forma diferente? Acho que sobrou para os professores ensinar outros costumes às crianças de hoje, salvando assim essa geração, mas até isso parece uma utopia, porque essas criaturas tão especiais que são os professores, teriam que ser super heróis para sair intactos de uma sala de aula. Que Deus proteja os professores e repreenda os pais omissos.

II - A princípio pensei que estava indo para um lugar tranquilo para descansar e me recuperar, mas na verdade meu destino foi outro. Fui parar em um lugar onde pude observar bem de perto o que é o fundo do poço, pessoas com a mente transtornada incapazes de formar suas próprias opiniões. Pude perceber claramente que essas mentes eram dominadas pela mídia manipuladora (jornais, novelas), esse lixo que hoje chamam de música, religiões com dirigentes cujo único interesse é financeiro e para conseguir usam o nome de Deus apelando para as emoções das pessoas, tirando delas o mínimo que elas possuem e prometendo em troca a salvação, percebi naquele lugar a falta de interesse dos governantes em educar o povo de uma maneira que tenham condições de tirar suas próprias conclusões do que é bom ou ruim e não fazer das pessoas marionetes, manipulando-as da maneira que melhor lhes convier.

Observei de perto o dano causado por esse esgoto que é despejado todos os dias na mente das pessoas, e que pelo despreparo absorvem tudo como se fosse o melhor para elas, sendo que se tivessem recebido a educação adequada, elas saberiam fazer suas escolhas.
O que me deixou mais triste é que muitos que se encontra naquele lugar são pais e mães, mas incapazes de educar seus filhos, por isso fiquei pensando que a única esperança para essas crianças é a escola e que infelizmente não é tida com interesse pelos governantes.

Esse pequeno relato é baseado em conversas que pude ter com pessoas que tinham alguma condição de falar de suas experiências e infelizmente essas experiências as levaram a perder a realidade da vida. Pelo fato de vivermos numa democracia sempre tive a esperança de que o povo reagiria contra o sistema, mas depois de tudo que vi e ouvi minha esperança esmoreceu, cheguei à conclusão de que os menos favorecidos estão fora de combate. Passei então a pensar que a classe média poderia ser esse povo que reagiria, mas eles estão mais preocupados em manter seus padrões de vida e também não tem tempo para educar seus filhos.

A classe alta se acha inatingível e se dedicam exclusivamente a se tornarem mais ricos, e estão preocupados demais consigo mesmo, e não tem tempo para educar seus filhos. A conclusão que cheguei é que nenhuma das classes sociais de nosso país está dando a devida importância na educação dos filhos, sobrou para a escola.

Fiquei sem esperança, mas me lembrei de que existem muitos brasileiros em todas as classes sociais que são coerentes e estão enxergando a realidade como ela é e pode ser através destas pessoas que nosso país pode se tornar digno. Essa é minha opinião, e ficaria muito feliz se alguém pudesse me mostrar que estão acontecendo coisas que eu desconheça e que possa reforçar essa esperança.


Antonio Carlos Ribeiro
ancarri@veloxmail.com.br

O debate entre e Junei e Josemar está configurado na minha ótica da seguinte forma, o cidadão livramentense vem sendo desrespeitado continuamente, em todas as esferas, nós não podemos ficar calados e consolados com o que pode vir no futuro político de nosso município, queremos respeito e resgate dos compromissos assumidos que a dupla Paulo e Júnior fizeram em palanques e nos pisos das residências, fora isso, vamos eleger o presente como prioridade, se vamos (PV) ter aliados no futuro, iremos analisar com toda equipe que compõe o partido, temos como espelho o que acontece em Brasília, Juntinhos estão antigos combatentes do regime militar e toda ditadura com Sarney, Calheiros, Collor e etc, as alianças têm um papel fundamental no processo político, mas não é a última carta, é um elo de uma longa corrente.